Europa Armazém de Estocolmo pede desculpa por saldos após ataque terrorista

Armazém de Estocolmo pede desculpa por saldos após ataque terrorista

Os grandes armazéns Åhléns, na zona pedonal de Estocolmo, onde embateu o camião do ataque terrorista de sexta-feira, anunciaram que vão vender a metade do preço os produtos que ficaram danificados no atentado. Onda de indignação obrigou o CEO a pedir desculpa.
Armazém de Estocolmo pede desculpa por saldos após ataque terrorista
Reuters
Negócios com Lusa 09 de abril de 2017 às 11:47

A Åhléns informou no sábado que reabriria uma parte dos armazéns este domingo, às 11:00 (09:00 em Lisboa), já que a polícia retirou o cordão de segurança do local.

"Vamos dar início a uma liquidação dos produtos danificados pelo fumo nos pisos ao nível da rua e da estação de metro. Produtos desportivos, acessórios, sapatos e de beleza estarão a metade do preço", indica um email enviado aos clientes.

A iniciativa motivou uma onda de indignação, com vários "posts" na página da Åhléns no Facebook a considerarem o email "vergonhoso". 

A Åhléns cancelou entretanto a reabertura e os saldos e o CEO emitiu um pedido de desculpas. "Gostaríamos de pedir desculpa aos nossos clientes pela má decisão", afirmou Gustaf Öhrn, citado pela agência TT.

"Ficámos cegos pela nossa vontade em reabrir rapidamente. Quisemos defender uma sociedade aberta e todos os valores que isso representa. Foi uma má decisão e as más decisões devem ser alteradas. A nossa intenção não era fazer dinheiro com esta difícil situação. Fico desgostado que tenha sido percepcionado dessa foram", acrescentou o CEO.

Gustaf Öhrn informou ainda que foi criada uma equipa de crise para apoiar psicologicamente os trabalhadores da Åhléns. A decisão sobre o que fazer aos artigos danificados será tomada em conjunto com os fornecedores.

A polícia sueca confirmou no domingo que interrogou sete pessoas sobre o atentado terrorista de Estocolmo na sexta-feira, em que um camião atropelou uma multidão numa zona pedonal e chocou contra grandes armazéns, provocando quatro mortes.

A informação foi revelada à televisão pública "STV" por um elemento da cúpula da Polícia Nacional, Jonas Hysing, que invocou a investigação em curso para não dar mais detalhes sobre os interrogados.

Vários media suecos informaram nas últimas horas que a polícia realizou várias detenções, no sábado, num apartamento nos subúrbios de Varberg, onde se crê que o alegado autor do atentado passou as horas antecedentes, assim como noutra zona da cidade.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Conselheiro de Trump 09.04.2017

So reclame.Mais 1 burrice perpetrada desta vez pela seguranca de Estolcomo:se o animal feroz estava debaixo de olho das forcas de seguranca,porque andava ele solto?Porque nao fazem 1 convenio com os paises de origem para os terem de volta?Daqui a nada portugal tem 1 marroquino nas mesmas circunstanc

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub