Economia Arménio Carlos: Imagem do Governo pode ficar "manchada" pelos precários

Arménio Carlos: Imagem do Governo pode ficar "manchada" pelos precários

O líder da CGTP duvida que o processo de integração dos precários esteja concluído em Maio como prometeu o Governo. E avisa que isso terá consequências.
A carregar o vídeo ...
Miguel Baltazar
Celso Filipe Rosário Lira 27 de janeiro de 2018 às 21:00

O Governo não cumpriu com o que tinha prometido em matéria de integração de precários, afirma Arménio Carlos na Conversa Capital, uma entrevista conjunta do Negócios e Antena 1. 

"O Governo foi chamado à atenção que não estava a cumprir com a sua missão e persistiu. E agora temos um problema em que há uma grande concentração de candidaturas nomeadamente nas áreas do ensino e da saúde, são 5.000 ou 6.000, em cada lado, e agora aquilo está tão atrasado que já se põe em causa que em Maio o processo esteja concluído para as pessoas se possam candidatar. E este é um problema", afirma o secretário-geral da CGTP.

Arménio Carlos admite que, nestas circunstâncias, existam trabalhadores que podem ver defraudadas as sua expectativas de integração. "Pode acontecer e isso é gravíssimo, porque isso mancha a imagem do Governo e em segundo lugar acaba por deixar um rasto que leva os trabalhadores a desacreditar, nomeadamente em quem prometeu e depois não cumpriu".

"A pior coisa que se pode fazer em política é que a palavra dada não seja honrada. Seja quem for. Porque as pessoas e os trabalhadores não estão distantes dos problemas e às vezes até parece que estão distraídos, mas não estão. Sabem muito bem distinguir quem promete e cumpre de quem promete e depois não cumpre", sublinha o sindicalista. 




Saber mais e Alertas
pub