Rendas Arrendar quartos dá desconto nos impostos

Arrendar quartos dá desconto nos impostos

Governo está a preparar um novo quadro para a actividade de arrendamento. O objectivo é promover o arrendamento de casas subocupadas, com a isenção dos 28% em imposto actualmente pago.
Arrendar quartos dá desconto nos impostos
Miguel Baltazar/Negócios
Negócios 05 de dezembro de 2017 às 09:56

Quem arrendar parte da habitação a preços acessíveis e com um contrato de longa duração vai deixar de pagar o imposto de 28% previsto sobre o valor da renda cobrada, escreve o Jornal de Notícias desta terça-feira, 5 de Dezembro.

A medida integra o programa do Governo de incentivo à disponibilização de casas com rendas acessíveis, 20% abaixo do preço médio do mercado nacional. Assim, o Executivo quer assegurar a isenção fiscal a quem promove a coabitação.


O decreto-lei ficará pronto até ao final de Março de 2018, escreve a publicação, citando a secretária de Estado da Habitação. Ana Pinho fala num número elevado de habitações subocupadas em Portugal.


O Jornal de Notícias concretiza que, nos concelhos onde há mais arrendamento, o valor de referência dos contratos de arrendamento será definido ao nível de freguesia. É sobre o valor definido pelo Instituto Nacional de Estatística que os senhorios terão de calcular os referidos 20%.


Ana Pinho admite contudo que essa redução de 20% poderá não ser possível nas áreas metropolitanas de Lisboa e Porto bem como no Algarve.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado JCG Há 1 semana

São só medidas parva, de merda. Um esfrangalhar total do princípio da lei geral. É um legislar em função da ereção mictória matinal. É um inventar de novas discriminações e novos problemas. Arranjam esses secretários de Estado da treta e depois os mesmos para justificar a existência e como não têm competência para mais, botam-se a parir leis parvas. Onde anda o princípio de

comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

Há cerca de 10 anos investi na plantação dum pinhal, mais tarde o proprietário que confronta construiu uma exploração agricula. Agora tenho que cortar o pinhal! Empresários fujam!

Camponio da beira Há 1 semana

Se até a arrendar a inqulilnos, muitas vezes, não pagam destroiem o que não conseguem roubar e desaparecem , quanto mais meter desconhecidos no meio de nós....já foi tempo que as pessoas tinham palavra, vergonha na cara e justiça....mas isso agora é passado.

JCG Há 1 semana

São só medidas parva, de merda. Um esfrangalhar total do princípio da lei geral. É um legislar em função da ereção mictória matinal. É um inventar de novas discriminações e novos problemas. Arranjam esses secretários de Estado da treta e depois os mesmos para justificar a existência e como não têm competência para mais, botam-se a parir leis parvas. Onde anda o princípio de

pub