Américas Assange promete revelar "informações significativas" sobre eleições nos EUA

Assange promete revelar "informações significativas" sobre eleições nos EUA

O fundador do Wikileaks recusou dar pormenores, dizendo apenas que algumas das informações "são significativas" para as eleições norte-americanas, mas assegurou ser falso que pretenda destruir a candidata democrata, Hillary Clinton.
Assange promete revelar "informações significativas" sobre eleições nos EUA
Reuters
Lusa 04 de Outubro de 2016 às 13:31
O fundador do Wikileaks Julian Assange anunciou hoje que vai divulgar esta semana os primeiros de uma série de documentos que incluem "informações significativas" para as eleições presidenciais norte-americanas.

Assange falou, através de videoconferência, para Berlim, onde o Wikileaks assinala hoje o seu 10.º aniversário.

"A primeira publicação vai ser esta semana", disse Assange, acrescentando que pretende publicar documentos "três vezes por semana" até às eleições nos Estados Unidos, previstas para 8 de Novembro.

Os novos documentos incluem informações sobre política norte-americana, mas também sobre os sectores petrolífero e de armamento e sobre espionagem, disse.

Assange recusou dar pormenores, dizendo apenas que algumas das informações "são significativas" para as eleições norte-americanas, mas assegurou ser falso que pretenda destruir a candidata do Partido Democrata, Hillary Clinton.

Os novos documentos, disse, revelarão "características interessantes" de algumas instituições e de "como operam".

Julian Assange está refugiado há quatro anos na embaixada do Equador em Londres para evitar a extradição para a Suécia, onde é investigado por alegados delitos sexuais, por recear ser entregue aos Estados Unidos, que o querem julgar pela revelação de informações confidenciais.

O Wikileaks tem divulgado milhares de documentos, entre os quais arquivos sobre a prisão de Guantánamo, as guerras do Iraque e do Afeganistão e documentos diplomáticos dos Estados Unidos.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 04.10.2016


FP . CGA – 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES DO PRIVADO

400 milhões de Euros para aumentar as pensões mínimas, são migalhas em comparação com...

os mais de 4600 milhões de euros que o Estado injetou, em 2015 (e injeta todos anos) através de transferências diretas do Orçamento do Estado (ou seja, com dinheiro pago em impostos pelos restantes portugueses) para assegurar o financiamento do buraco anual das pensões da CGA.

pub
pub
pub
pub