Mundo Ataque com helicóptero ao Supremo Tribunal da Venezuela

Ataque com helicóptero ao Supremo Tribunal da Venezuela

Não foram registados feridos na sequência do incidente, descrito como um "ataque terrorista" pelo Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro.
Ataque com helicóptero ao Supremo Tribunal da Venezuela
Lusa 28 de junho de 2017 às 09:46

O Governo da Venezuela afirmou que foram disparados 15 tiros contra o Ministério do Interior e lançadas quatro granadas contra o Supremo Tribunal durante um ataque, na terça-feira, a partir de um helicóptero tomado por um polícia.

 

Não foram registados feridos na sequência do incidente, descrito como um "ataque terrorista" pelo Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro.

 

O ministro da Comunicação e Informação, Ernesto Villegas, explicou que o helicóptero foi furtado da base militar de La Carlota, em Caracas, por um inspetor adstrito à divisão de transporte aéreo da polícia científica (CICPC), identificado como Óscar Pérez.

 

No discurso, transmitido obrigatoriamente pela rádio e televisão, Ernesto Villegas afirmou que a aeronave sobrevoou a sede do Ministério do Interior, no centro da capital, e "efectuou cerca de 15 disparos contra o edifício", enquanto no terraço decorria uma recepção com aproximadamente 80 pessoas.

 

O aparelho seguiu depois para o Supremo Tribunal, "onde foram efectuados disparos e lançadas pelo menos quatro granadas, de origem colombiana e fabrico israelita, das quais uma não explodiu e foi recolhida", disse o mesmo responsável.

 

Villegas sublinhou que as forças armadas e os corpos de segurança do Estado foram destacados para capturar o autor do duplo ataque e recuperar a aeronave, exortando os cidadãos a comunicar qualquer informação que tenham sobre o paradeiro de Pérez ou do helicóptero.

 

O ministro afirmou que os ataques fazem parte de "uma escalada golpista contra a Constituição e as suas instituições", indicando ainda que Óscar Pérez está a ser investigado pelas "ligações à Agência Central de Inteligência" (CIA, na sigla em inglês) e à embaixada dos Estados Unidos na Venezuela.

 

Para o Governo, estes são ataques de cariz terrorista, "enquadrados na ofensiva de insurreição conduzida por facções extremistas da direita venezuelana com o apoio de governos e poderes estrangeiros".

 




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Mausão? Há 3 semanas

Para a canhotada, o maduro é um herói. Estes gajos têem uma noção muito peculiar da democracia. Democracia só há uma. A de esquerda e mais nenhuma. Por acaso estou a ler, mais uma vez, a história do grande herói estaline. É bom conhecer o passado, para compreender o presente e prevenir o futuro.

Anónimo Há 3 semanas

Anónimo de há 1 hora, qualquer pessoa que combata uma ditadura é um heroi. O regime venezuelano é uma ditadura pura e dura, com a agravante de que está a matar o seu povo à fome o que é mais grave. Perca um pouco de tempo e veja os programas brasileiros sobre as hordas de refugiados que fugiram para os Estado brasileiros que fazem fronteira com a Venezuela, ouça o que essas pessoas contam sobre o que se passa no seu país.

Anónimo Há 3 semanas

O Maduro é um mauzão! Sempre a reprimir protestos da oposição! Um Presidente que não tolera uns tiros contra um tribunal não é democrata e deve sair!
Vamos ver a "condenação" internacional a este "ato" democrático de dar tiros num heli...

pub