Saúde Auditor independente fixou contrapartida sobre Cipan em 16 cêntimos

Auditor independente fixou contrapartida sobre Cipan em 16 cêntimos

Auditor independente fixou a contrapartida para a oferta sobre a Cipan. Espanhóis vão ter de desembolsar mais dois cêntimos por cada acção.
Auditor independente fixou contrapartida sobre Cipan em 16 cêntimos

A contrapartida para a OPA (Oferta Pública de Aquisição) da Lusosuan sobre a Cipan foi fixada, por auditor independente, em 16 cêntimos, mais dois cêntimos do que a proposta inicial da empresa espanhola. 

A CMVM já tinha determinado, em Outubro, que a contrapartida iria ser fixada por um auditor independente, tendo, para o efeito, solicitado
 à Ordem dos Revisores Oficiais de Contas a nomeação desse mesmo auditor.

A oferta da Lusosuan é geral e obrigatória, uma vez que esta entidade adquiriu uma posição maioritária na Cipan. O detentor dos 85,37% do capital da Cipan era a Atral-Cipan, empresa do fundador Sebastião Alves, mas houve negociações para a venda da empresa que fabrica produtos farmacêuticos. Um dos grupos que negociou a aquisição foi o americano Chartwell Pharmaceuticals mas não houve acordo. O entendimento chegou posteriormente e foi feito com a Lusosuan, controlada pela espanhola Suan Farma. A compra da participação maioritária foi feita a 14 cêntimos por acção. 2,9 milhões no seu todo. E foi com esse preço que a Lusosuan lançou a OPA.

Agora o auditor diz que não é um preço justo. A avaliação "teve por base os dados históricos da empresa, incluindo uma estimativa da situação económico financeira para 2016, as informações do orçamento para 2017 e estimativas efectuadas por nós [pelo auditor independente designado] a partir dessa data, tendo em consideração as informações recolhidas no mercado. Utilizou-se o método dos fluxos de caixa actualizados (método do custo médio de capital) e rácios comparativos de mercado usando o método da entidade. Dos rácios usados conclui-se que o Enterprise Value to EBIT era o que se apresentava como mais adequado", lê-se no comunicado divulgado esta terça-feira, 24 de Janeiro

Assim, tendo em conta a análise dos fluxos de caixa actualizados, os comparativos de mercado e o "target value" para 2020, o auditor é da "opinião que a oferta de aquisição se deveria fazer ao preço de 0,16€".

Mas não é apenas esta OPA que está à espera de desfecho sobre a Cipan. A oferta voluntária que a Chartwell, que tem 2% do capital, lançou sobre outros 8% a 45 cêntimos por acção mantém-se e ambas aguardam registo junto do regulador do mercado de capitais para poderem avançar.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub