Zona Euro Augusto Santos Silva: Zona Euro deve debater dívida europeia depois das eleições alemãs

Augusto Santos Silva: Zona Euro deve debater dívida europeia depois das eleições alemãs

O ministro dos Negócios Estrangeiros português reiterou hoje que os países da zona euro devem discutir o problema do endividamento excessivo, mas remeteu esse debate para depois das eleições na Alemanha, previstas para Outubro.
Augusto Santos Silva: Zona Euro deve debater dívida europeia depois das eleições alemãs
Bruno Simão
Lusa 05 de janeiro de 2017 às 18:27

"É muito importante percebermos todos que o peso da dívida não é um problema deste ou daquele país, muito menos de um país chamado Portugal", referiu Augusto Santos Silva, em declarações aos jornalistas, à margem do seminário diplomático, em Lisboa.

 

Para o governante, "há um problema de endividamento excessivo que aflige a zona euro, em particular, e várias das economias mais fortes da zona euro".  

 

"Os Estados-membros devem discutir esse problema, quando for o momento político adequado", afirmou, remetendo esse debate para depois das eleições na Alemanha.

 

"O primeiro-ministro já o disse; do nosso ponto de vista, não há nenhuma razão para não se discutir esse problema pelo menos depois das eleições alemãs", referiu.

 

Na sua intervenção na abertura do seminário diplomático, esta quarta-feira, Santos Silva defendeu que é incontornável a Europa debater o endividamento excessivo, que "penaliza tantas economias", considerando que "falta momento e impulso político" para discutir as propostas que já existem.

 

"As propostas existem, falta é momento e impulso político", disse.

 

No mês passado, o Bloco de Esquerda desafiou o Governo português a liderar um movimento na União Europeia para debater a questão da dívida.

 




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 05.01.2017

Este gajo é parvalhão!!! A gente está alegremente a pagar a divida a 4% e isso pressupõe um acordo devedor/credor em que ambos estão satisfeitos com o negócio! O que é que eles iriam discutir, quando a gente remunera bem os emprestimos concedidos?

Anónimo 05.01.2017

Entao e este o num.2 da gerigonca,ele nem o 20.Podia ter levantado 1 poucoxinho o beu da desgraca,faco-o eu:Ha 3 no mximo 4 paises na penuria:portugal,Italia,grecia e 1 seu vizinho dentro da EU.Foram chamados sistematicamente a introduzir reformas ao ponto de estar prontos para participarem no futur

pub