Impostos Augusto Mateus: "Este Orçamento tem uma característica que é a complicação dos impostos"

Augusto Mateus: "Este Orçamento tem uma característica que é a complicação dos impostos"

O antigo ministro da Economia apontou a complexidade da carga fiscal do documento e criticou as "politicazinhas" que transformam a política económica numa "manta de retalhos".
Augusto Mateus: "Este Orçamento tem uma característica que é a complicação dos impostos"
Miguel Baltazar/Negócios
André Cabrita-Mendes 18 de Outubro de 2016 às 13:09

O antigo ministro da Economia analisou o Orçamento do Estado para o próximo ano e deixou várias críticas ao documento, como a falta de políticas económicas de longo prazo e a "complicação" dos impostos.

 

"Este Orçamento é um bocadinho uma coisa em que muda quase tudo para ficar tudo na mesma. Tem uma característica pouco interessante que é a complicação dos impostos", disse Augusto Mateus esta terça-feira, 18 de Outubro, na conferência da Associação Portuguesa de Empresas Petrolíferas (APETRO). "Isto é, tem os impostos clássicos e ao lado impostos novos que complementam esses impostos".

 

Por outro lado, o economista deixou elogios às "preocupações correctas" do Orçamento, como no caso da "equidade e de distribuição de rendimento".

 

Ministro da Economia durante o primeiro Governo de António Guterres, deu o exemplo da sua experiência governativa para afirmar que "nem sempre a melhor maneira de aumentar a receita fiscal é aumentar a taxa do imposto", recordando-se do corte que fez à taxa sobre o jogo de bingo, que provocou uma recuperação de parte da receita fiscal, que tinha sido introduzida pelo Governo de Cavaco Silva.

 

Para terminar o seu comentário ao Orçamento do Estado, o economista criticou a falta de políticas de longo prazo. "Este orçamento mantém a lógica de tributar aquilo que é mais facilmente tributável, é mais uma passo naquilo que tem caracterizado Portugal nos últimos anos que é, cada vez menos políticas económicas, e cada vez mais politicazinhas que dão à politica económica um aspecto de manta de retalho".




A sua opinião15
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 3 semanas


Os ladrões de esquerda

PS ROUBA OS TRABALHADORES DO PRIVADO


PS = O partido dos mais Ricos

O PS apenas defende os interesses particulares de alguns grupos:


- Os empresários mais ricos (arranjou-lhes as PPP's);

- Os aposentados/reformados com pensões mais elevadas (opõe-se aos cortes);

- Os funcionários públicos (são os trabalhadores com salários mais elevados).


Os outros portugueses (a maioria)... que se lixem e paguem mais impostos e contribuições para sustentar os anteriores!

comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

Exactamente como diz Passos Coelho:INVEMTAM PARA DE SEGUIDA VIREM DIZER QUE RESOLVERAM.Mas a tristeza aqui e eles pensarem que levam o povo por LORPAS.Mas,mas posso acrescentar aqui que ha uma manadita de jornalistas que gostam desta PINGA:falam com BEBADOS.

pertinaz Há 3 semanas

CLARO

CHAMA-SE SAQUE FISCAL

QUANTO MAIS COMPLICADO MAIS GANHAM AS CONSULTORAS


VAMOS A CAMINHO DO ABISMO

Farto de velhos com maus vicios Há 3 semanas

Reforma-te, desaparece velhadas, não é complicar é reformar, desaparece. Venham jovens.

Ana Paula Sousa Há 3 semanas

Lá vem o diabo outra vez!

ver mais comentários
pub