Ásia Austeridade no PC chinês acaba com fruta e cortes de cabelo grátis no congresso

Austeridade no PC chinês acaba com fruta e cortes de cabelo grátis no congresso

Segundo a Reuters, os comunistas chineses querem dar o exemplo no congresso que começa quarta-feira, dando mostras de frugalidade nas condições com que receberão os delegados, numa altura em que o governo empreende uma batalha contra a corrupção.
Austeridade no PC chinês acaba com fruta e cortes de cabelo grátis no congresso
Bloomberg
Negócios com Reuters 15 de outubro de 2017 às 18:46
O congresso do Partido Comunista chinês – que arranca esta quarta-feira -, não terá este ano as mesmas comodidades que as edições anteriores, numa altura em que o governo liderado pelo presidente Xi Jinping (na foto) continua a liderar uma batalha contra a corrupção no país.

O fim das "extravagâncias", conta a Reuters, vai fazer com que os congressistas deixem, por exemplo, de dispor de fruta grátis nos seus quartos ou de ter cortes de cabelo de graça, tal como acontecia até aqui.

A austeridade no congresso quinquenal não fica por aí. O menu dos delegados às refeições será simples e caseiro. "Não haverá pepinos-do-mar, camarões ou semelhantes. Será tudo servido em buffet", afirmou à rádio estatal Wang Lilian, assistente do partido na organização do congresso.

Xi - que ele próprio tem tentado transmitir a imagem de um líder com um nível de vida modesto - tem avisado que se a corrupção não for combatida o Partido Comunista pode vir a perder o controlo do poder no país, dado o sentimento de injustiça que esse género de comportamentos gera na opinião pública.

Ainda este domingo foi conhecido que uma antiga ministra da Justiça, Wu Aiying, foi expulsa do partido por "problemas disciplinares graves," uma expressão que a Reuters refere trata-se de um eufemismo para corrupção.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub