Economia Autarcas acusam Estado de dificultar limpeza de terrenos florestais
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Autarcas acusam Estado de dificultar limpeza de terrenos florestais

A maior dificuldade apontada pelos autarcas na limpeza de terrenos florestais é a identificação dos proprietários, e nem o Fisco nem as Conservatórias colaboram. Os obstáculos na contratação de pessoal e a falta de cadastro territorial são outros problemas identificados.
Autarcas acusam Estado de dificultar limpeza de terrenos florestais
Ricardo Almeida/Correio da Manhã

O ano de 2017 ameaça bater todos os recordes em termos de incêndios florestais. Além da seca e das altas temperaturas características do Verão, o mau planeamento florestal e a falta de limpeza dos terrenos é factor )

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião11
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 22.08.2017

O retrógrado "estado" é um empecilho ao progresso e o par "conservatórias/ finanças" são o cúmulo do compadrio, da burguesice e da estupidez. Ninguém com um palmo de testa, digno dessa adjectivação, sai duma consulta a estes serviços sem apresentar uma elevada dose de azia e ódio pela visita. E as câmaras municipais, idem, idem. Só de me lembrar da, inútil, trabalheira e despesa que me deu tratar da papelada para a legalização de poços e fossas sépticas até me mordo todo e ainda fui gozado pela maralha que, conhecedores da treta política, vivamente me aconselharam a kagar no assunto.

comentários mais recentes
Anónimo 22.08.2017

Plenamente de acordo com o ANÓNIMO da legalização dos poços, foi uma burla do estado para com o povo. Depois a recompensa pelos danos, foi o "gozo".

DJ viajante 22.08.2017

Toda a inercia do governo socio-comunista patente nos incendios que ocorrem em Portugal: incapacidade de gerir os diferentes serviços tanto no pre como no pos incêndio. E o esta tudo bem continua.

A Tentar Perceber 22.08.2017

Tem de ser o Cidadão a Resolver o Problema.Vejo diariamente Presidentes de Câmaras a chamar estúpidos aos Portugueses,nenhum Autarca a pedir desculpa por ter as matas a pedir um Fósforo, Públicas e Privadas, um Crime que não assumem, e a recandidatarem-se com grande desfasatez.

Anónimo 22.08.2017

Só Seia e Oliveira do Hospital? E então em Paredes e Penafiel houve algum resultado desse projecto piloto de cadastro? Houve sim, cansei-me eu a limpar e colocar marcos nos confrontamentos das propriedades para que tudo ficasse no limbo da burocracia na fase de reclamações. Resultado final, ZERO.

ver mais comentários
Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub