Eleições Autárquicas: Presidente da República apela ao voto “para travar subida da abstenção”

Autárquicas: Presidente da República apela ao voto “para travar subida da abstenção”

O Presidente da República votou hoje em Celorico de Basto, pouco antes das 13:00, onde apelou à ida à urnas "para travar a subida da abstenção".
Autárquicas: Presidente da República apela ao voto “para travar subida da abstenção”
Lusa 01 de outubro de 2017 às 14:07

"Pelo que eu percebi aqui, a abstenção está ao nível das últimas eleições autárquicas. Espero que diminua durante a tarde. Espero que se faça um esforço para travar a subida da abstenção. Nas últimas eleições locais houve uma subida, é uma tendência", afirmou aos jornalistas, depois de ter votado na freguesia de Molares, concelho de Celorico de Basto, onde tem raízes familiares.

O chefe do Estado recordou que as autárquicas são as eleições mais próximas da população e, por isso, afirmou fazer-lhe "impressão" a abstenção.

"Não pode ser, porque sendo um poder tão próximo das pessoas, as pessoas, de repente, não se interessarem por aquilo que é próximo das suas vidas, faz-me impressão, não consigo compreender", declarou.


Marcelo Rebelo de Sousa questionou depois: "Ora, se [não se vota] numa eleição que diz tanto a tanta gente, nas várias áreas de Portugal, então em que eleição é que se há de votar?".


À chegada à Junta de Freguesia onde votou, o Presidente da República cumprimentou os autarcas locais e alguns populares que se encontravam à porta, dirigindo-se a eles, em alguns casos, pelo próprio nome.


Aos jornalistas, Marcelo recordou que foi autarca em Celorico de Basto, concelho do interior do distrito de Braga onde vota há várias eleições.


"É natural que venha votar onde tenho raízes e onde estou recenseado e, portanto, não mudo pelo facto de ser Presidente da Republica", afirmou.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 2 semanas

Será que estes políticos, incluindo o digníssimo Presidente, ainda não compreenderam que a maioria dos portugueses não se revêm neste tipo de gente e da politica que apregoam.

comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

Será que estes políticos, incluindo o digníssimo Presidente, ainda não compreenderam que a maioria dos portugueses não se revêm neste tipo de gente e da politica que apregoam.

pub