Indústria Automóvel, metal e plástico suportam vendas da indústria

Automóvel, metal e plástico suportam vendas da indústria

Em 2015, as vendas da indústria portuguesa cresceram 1,6% em termos homólogos, com a quebra do crude a impedir uma subida mais significativa. O ramo alimentar continua a liderar o ranking, valendo 13,5% do total.
Automóvel, metal e plástico suportam vendas da indústria
Bruno Simão/Negócios
António Larguesa 21 de Novembro de 2016 às 11:59

A venda de produtos e serviços na indústria atingiu os 77,3 mil milhões de euros em 2015, o que representou uma subida de 1,6% face ao ano anterior. As estatísticas sobre a produção industrial foram publicadas esta segunda-feira, 21 de Novembro, pelo INE, com base nos dados do Inquérito Anual à Produção Industrial.

 

O sector automóvel – através do fabrico dos veículos e de componentes, que cresceram 15,3% em relação ao período homólogo – foi o que mais contribuiu para o crescimento da actividade global no ano passado. É o terceiro no ranking das vendas industriais portuguesas, com os 6.625 milhões de euros a pesarem 8,6% do total.

 

Também os aumentos registados na fabricação de produtos metálicos (5,8%) e de artigos de borracha e matérias plásticas (6,2%) deram os "contributos positivos mais significativos", ocupando, respectivamente, o quarto e sétimo posto na lista de venda de produtos e prestação de serviços na indústria.

 

Por outro lado, o recuo de 11,7% na fabricação de produtos petrolíferos refinados foi a principal responsável pelo facto da indústria portuguesa não ter registado uma progressão mais acelerada." Esta evolução reflectiu a redução dos preços nos mercados internacionais do petróleo bruto (crude), sendo de recordar que o índice de valor unitário das importações de produtos petrolíferos registou uma variação de -26,1% em termos anuais, face a 2014", assinala o INE.

 

É que, se fosse excluída essa divisão dos produtos petrolíferos refinados – que, ainda assim, é a segunda principal na lista nacional, pesando quase 10% do total –, o valor calculado da produção das restantes actividades industriais teria aumentado 3,3% no ano passado, em relação ao exercício anterior.

 

O quadro divulgado pelo INE mostra que as indústrias alimentares mantêm a liderança no ranking das vendas, tendo registado um aumento de 0,9% em 2015, para 10.400 milhões de euros. Pesam 13,5% no total. Já a maior queda, logo a seguir aos produtos petrolíferos refinados, foi registada na comercialização de produtos químicos e fibras sintéticas (-6%), que fecha o "top 5" dos campeões de vendas na indústria.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub