Mundo Autoridades australianas frustram plano terrorista para abater avião

Autoridades australianas frustram plano terrorista para abater avião

As autoridades australianas frustraram um "plano terrorista" que pretendia "fazer cair" um avião, anunciou o primeiro-ministro, Malcolm Turnbull, que indicou que quatro pessoas foram detidas em Sidney.
Autoridades australianas frustram plano terrorista para abater avião
Reuters
Lusa 30 de julho de 2017 às 17:29
"Posso anunciar que na noite passada teve lugar uma importante operação de contra-terrorismo para impedir um plano terrorista que visava fazer cair um avião", disse o governante (à esquerda, na foto) aos jornalistas.

Turnbull adiantou que a segurança no aeroporto de Sidney tinha sido reforçada desde quinta-feira e medidas de segurança adicionais foram alargadas a todos os terminais internacionais e domésticos da Austrália durante a noite.

O primeiro-ministro australiano adiantou que a operação ainda estava a decorrer.

"Nos últimos dias, as autoridades tiveram conhecimento de uma informação que sugeria que algumas pessoas em Sidney estavam a planear cometer um ataque terrorista utilizando um dispositivo improvisado", disse o comissário da polícia federal, Andrew Colvin.

O chefe do Governo australiano aconselhou os viajantes na Austrália a chegar aos aeroportos mais cedo que o habitual -- duas horas antes da partida -- para permitir revistas adicionais de segurança.

O ministro da Justiça, Michael Keenan, revelou que o plano foi a 13.ª ameaça significativa desmantelada pela polícia desde que a Austrália elevou o nível de alerta terrorista, em 2014. Cinco ataques foram concretizados.

"A ameaça principal à Austrália continua a ser de actores individuais, mas os eventos desta noite recordam-nos que ainda há a capacidade de pessoas terem planos sofisticados e ataques sofisticados, ainda permanecem uma ameaça real", disse Keenan, que pediu aos australianos para "permanecerem vigilantes".

Os detidos ainda não foram acusados, segundo a polícia.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar