Mundo Balanço de vítimas mortais do sismo no México sobe para 60

Balanço de vítimas mortais do sismo no México sobe para 60

O balanço de vítimas mortais de um dos mais poderosos terramotos alguma vez registados no México, ocorrido na costa sul, que provocou o colapso de centenas de edifícios, foi elevado para 60.
Balanço de vítimas mortais do sismo no México sobe para 60
Reuters
Lusa 08 de setembro de 2017 às 22:51

O sismo, que se verificou pouco antes da meia-noite de quinta-feira no México (madrugada de sexta-feira em Lisboa), foi tão forte que provocou abalos violentos em edifícios da capital mexicana, situada a mais de mil quilómetros.

O serviço geológico dos Estados Unidos indicou que o epicentro do sismo aconteceu pelas 05:49 (hora de Lisboa), a 165 quilómetros de Tapachula, no estado de Chiapas, a uma profundidade de 35 quilómetros. A magnitude do sismo foi depois actualizada pelo Serviço Sismológico Nacional do México, que a elevou de 8,1 para 8,4.

O forte abalo criou uma segunda emergência nacional para as agências de socorro mexicanas, já a braços com os efeitos do furacão Katia no outro lado do país. Este furacão é esperado na costa do Golfo do México, no Estado de Veracruz, ao final desta sexta-feira ou início de sábado, sendo de categoria 2 (nível em que pode provocar inundações ameaçadoras).


O chefe dos serviços de proteção civil mexicana confirmou a morte de 45 pessoas no Estado de Oaxaca, no sul. Outras 12 pessoas morreram no Estado de Chiapas e mais três no Estado de Tabasco.


O Centro de Alerta de Tsunamis do Pacífico chegou mesmo a activar um alerta de possibilidade de tsunami para o México, Guatemala, El Salvador, Costa Rica, Nicarágua, Panamá, Honduras e Equador, depois de o sismo ter desencadeado ondas de pequena dimensão, mas a ameaça não se concretizou.

 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 09.09.2017

No ano 17 do 3º milénio, 33 anos após o sismo de 1984=22 (1+9+8+4) os iluminati fizeram explodir uma ogiva nuclear, que provocou um abalo de 8,4 a que se seguiu várias outras explosões com menores intensidade que simularam as réplicas do "terramoto".

pub