Transportes Balanço global da manifestação de taxistas é "positivo", diz Presidente da República

Balanço global da manifestação de taxistas é "positivo", diz Presidente da República

Marcelo Rebelo de Sousa disse que, aparte um "episódio menos feliz", houve a possibilidade de contacto com o Governo, mesmo que tal não tenha resultado em convergência ou concordância.
Balanço global da manifestação de taxistas é "positivo", diz Presidente da República
Lusa
Lusa 10 de Outubro de 2016 às 18:44
O Presidente da República considerou esta segunda-feira, 10 de Outubro, que o balanço global da manifestação dos taxistas é até agora positivo, sublinhando que, tirando um episódio, foi pacífica e possibilitou o contacto com os vários órgãos do poder político.

"No geral, e tirando um episódio, a manifestação foi pacífica, houve a possibilidade de contacto - não quer dizer convergência ou concordância - com o Governo, está a haver o contacto com deputados, penso que o balanço global é positivo", afirmou o chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, em declarações aos jornalistas no final da inauguração da nova sede da UGT, em Lisboa.

Notando que a circulação na cidade de Lisboa se está a fazer normalmente, Marcelo Rebelo de Sousa, admitiu que existiu um "episódio menos feliz", mas insistiu que se tratou de "um episódio num quadro geral".

Além disso, reiterou, representantes dos taxistas falaram com o ministro do Ambiente e, segundo o Presidente da República, quando estava a dirigir-se para a UGT ouviu a notícia de que "iriam a São Bento falar com deputados".

Por isso, acrescentou o chefe de Estado, a ideia de que a manifestação foi pacífica, à parte de um episódio "menos feliz", e o facto de haver a possibilidade da apresentação das razões dos taxistas aos vários órgãos do poder político, resultam num "saldo positivo".

Questionando pelo facto da manifestação dos taxistas está a prolongar-se desde o início da manhã, Marcelo Rebelo de Sousa considerou "natural", ainda por cima "estando em curso uma conversa com deputados".

Interrogado sobre a forma como o Governo está a conduzir o processo, o chefe de Estado escusou-se a fazer comentários.

Os jornalistas tentaram ainda falar com o presidente da câmara de Lisboa, Fernando Medina, mas o autarca escusou-se a falar sobre a manifestação dos taxistas.

Centenas de taxistas estão desde a manhã de hoje em protesto junto ao aeroporto de Lisboa, bloqueando o trânsito até à rotunda do Relógio, quase seis meses depois de terem feito um protesto idêntico contra a plataforma Uber.

Os profissionais estão em luta contra a regulação, proposta pelo Governo, da actividade das plataformas de transportes de passageiros como a Uber ou a Cabify e tinham como destino a Assembleia da República.

As plataformas Uber e Cabify permitem pedir carros descaracterizados de transporte de passageiros através de uma aplicação para 'smartphones', mas estes operadores não têm de cumprir os mesmos requisitos - financeiros, de formação e de segurança - do que os táxis.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub