Política Monetária Banco do Japão mantém juros e estímulos à economia

Banco do Japão mantém juros e estímulos à economia

O Banco do Japão manteve os juros e as compras de activos inalterados, ainda que se tenha mostrado optimista com o rumo da economia.
Banco do Japão mantém juros e estímulos à economia
Rita Faria 21 de dezembro de 2017 às 08:00

Tal como era esperado, a última reunião de 2017 do Banco do Japão não resultou em qualquer alteração na política monetária.

A autoridade liderada por Haruhiko Kuroda (na foto) decidiu manter a taxa de juro de referência em -0,1% e as compras de activos "mais ou menos no nível actual" de 80 biliões de ienes (cerca de 596 mil milhões de euros) por ano, com o objectivo de estimular a economia e tentar atingir a meta de inflação de 2%.

O banco central admitiu esperar que a procura interna cresça e que as exportações "continuem a sua tendência de aumento moderado", acompanhando o crescimento das economias estrangeiras.  

O Japão está agora no mais longo período de crescimento em mais de duas décadas. O PIB subiu 2,5% no terceiro trimestre, enquanto a confiança dos empresários atingiu o nível mais alto desde a crise financeira. Apesar disso, os preços cresceram apenas 0,8% em Outubro, bem abaixo da meta do banco central.

A autoridade monetária mostrou-se ainda optimista em relação ao investimento das empresas, e sinalizou melhorias ao nível do emprego e da evolução dos salários.

"O Banco do Japão está a ganhar confiança na força da recuperação económica e a ajustar a linguagem da sua avaliação das condições económicas para indicar o seu optimismo", refere Maiko Noguchi, economista da Daiwa Securities e ex-funcionário do banco central, citado pela agência noticiosa. "Mas é muito cedo para pensar que o optimismo conduzirá a uma mudança de política já que a sua visão sobre a inflação não mudou, de todo".

O Banco do Japão distancia-se assim do rumo seguido pelos principais bancos centrais do mundo, depois de a Fed já ter subido os juros três vezes este ano e o Banco Central Europeu ter anunciado uma redução dos estímulos à economia. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar