Política Monetária BCE justifica menos compras de dívida portuguesa com ajuda prestada no passado

BCE justifica menos compras de dívida portuguesa com ajuda prestada no passado

O vice-presidente do BCE, Vítor Constâncio, justificou hoje as menores compras de activos de Portugal com as aquisições de dívida pública já realizadas em 2010 e 2011.
BCE justifica menos compras de dívida portuguesa com ajuda prestada no passado
Reuters
Lusa 10 de abril de 2017 às 17:13

Constâncio esteve hoje a ser ouvido na Comissão de Assuntos Económicos e Monetários do Parlamento Europeu, em Bruxelas, e foi questionado pelo eurodeputado Pedro Silva Pereira, do PS, quanto à redução pelo BCE do montante de compras de activos em alguns Estados-membros.

 

Em resposta, o vice-presidente do BCE afirmou que não há diferenças entre os Estados-membros e que para cada um é definido um volume de aquisição para o total do programa, realçando que o que acontece no caso de alguns países, como Portugal, é que as compras de dívida já feitas em 2010 e 2011 "contam para o 'stock'" total.

 

Assim, o volume comprado é "recalibrado" de modo ao volume máximo não ser excedido e poder haver compras de activos até ao fim do programa, previsto para final de 2017.

 

O BCE comprou em Março 663 milhões de euros em dívida pública portuguesa, recuperando ligeiramente face a Fevereiro (656 milhões), quando adquiriu o valor mais baixo desde o início do programa de compra de activos.

 

Desde Março de 2015, quando o BCE iniciou o programa de compra de activos (o chamado 'quantitative easing'), Frankfurt já adquiriu um montante de 26.617 milhões de euros em activos da dívida pública de Portugal.

 

No total, em Março, o banco central adquiriu cerca de 80.286 milhões de euros em activos da zona euro, sendo que a compra de títulos públicos representou a maior fatia: 68.814 milhões de euros.

 

Em Dezembro passado, a instituição financeira liderada por Mario Draghi decidiu prolongar até final de 2017 o programa de compra de dívida pública, mas com um abrandamento mensal já a partir deste mês de Abril (60.000 milhões de compras por mês, contra os 80.000 milhões anteriores).

 

Os juros da dívida portuguesa estavam hoje de manhã a subir a dois, cinco e dez anos, face a sexta-feira, no mercado secundário. Os juros dos títulos a dez anos transaccionavam a 3,889%, a cinco anos a 2,193% e a dois anos a 0,429%.

 


A sua opinião8
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 13.04.2017

Ja' viram que o gajo esta mesmo para cacar uma sardanisca?

Rado 11.04.2017

Dizem que as fotos mostram a pessoa como está e as pinturas dos grandes artistas mostram como elas são. Neste caso, a foto tem o valor de grance pintura.

nin 10.04.2017

Boa foto! É a típica expressão "não sei de nada".

Anónimo 10.04.2017

Desde qu esteja ele bem, para que se preocupar com outros.
Foi que sempre fez na vida.
Os portugueses pouco importam!

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub