Economia BCE terá palavra decisiva sobre cortes de pensões no Banco de Portugal
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

BCE terá palavra decisiva sobre cortes de pensões no Banco de Portugal

Carlos Costa pediu um parecer ao BCE sobre a legalidade dos cortes, que as Finanças querem que se façam. Entretanto o BdP paga aos que não são afectados.

A administração do Banco

Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião23
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Sr.Tuga 28.06.2012

Os funcionarios do Banco Tugal não são funcionarios publicos!

São uma elite a parte!
Aquilo é uma "CASA TIAS 5*"por ondem passam BOYS e POLEIRISTAS para trabalhar uns anitos e sairem com reformas DOURADAS aos 45 anos...
Vejam a lista de "ilustres" que por lá andaram a coçar....

Sr.Tuga 28.06.2012

São uma elite a parte!
Aquilo é uma "CASA TIAS 5*"por ondem passam BOYS e POLEIRISTAS para trabalhar uns anitos e sairem com reformas DOURADAS aos 45 anos...
Vejam a lista de "ilustres" que por lá andaram a coçar....

O)vservador 28.06.2012

Sr. Carlos Costa, seja lá qual for a opnião do BCE, o não corte dos Subsidios de Ferias e de Natal aos trabalhadores do Banco de Portugal é moralmente condenável, não equitativo e irresponsável, pois nenhum potuguês tem qualquer dúvida que o Banco de Portugal pertence ao Estado e estes cortes devem ser-lhes efectuados tal e qual como aos outros funcionários públicos porque senão o Zé Povinho verifica novamente e fácilmente em Portugal se vive numa autêntica Républica das bananas sem rei nem roque.

JCGX 28.06.2012

pronunciar-se sobre os impostos aplicados em Portugal sobre o rendimento pessoal no que respeita aos trabalhadores e rendistas do BdP. Qualquer dia vão estar a exigir IRS diferente ou zero invocando, por exemplo, o que acontece com o rendimento dos funcionários do FMI.
Pessoal, se nõs não abrimos os olhos, não para disparar bojardas tontas inconsequentes, mas para começar a identificar os trafulhas e oportunistas e a aplicar-lhes os respetivos corretivos, seremos cada vez mais lixados e gozadas por esta canalha.
Notaram por exemplo a conversa de VConstâncio sobre o Oliveira e Costa? homem sério, limpo e lavado, com vasto currículo, etc., ou seja, um da manada e da quadrilha. VC por oportunismo e cobardia não referiu por exemplo a caução ou selo de garantia que Cavaco Silva prestou a Oliveira e Costa. Achará, avisadamente, VC que convém não mexer muito no vespereiro.

ver mais comentários
Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub