Conjuntura BdP: Actividade económica cresce ao ritmo mais rápido em quase 17 anos

BdP: Actividade económica cresce ao ritmo mais rápido em quase 17 anos

Os indicadores do Banco de Portugal confirmam as expectativas em relação à economia. O consumo privado está a crescer ao ritmo mais célere desde Maio de 2010.
BdP: Actividade económica cresce ao ritmo mais rápido em quase 17 anos
Bruno Simão
Sara Antunes 21 de julho de 2017 às 17:48

O indicador de actividade económica cresceu 3,4%, em Junho, o que corresponde ao ritmo mais célere desde Agosto de 200, segundo os dados do Banco de Portugal. Este valor representa também um acelerar do crescimento, já que no mês anterior tinha verificado um aumento de 3%.

 

Já o indicador coincidente do consumo privado aumentou 2,9%, o que representa o valor mais alto desde Maio de 2010.

 

Este indicador junta-se assim a outros dados que apontam para um crescimento da economia. Ainda ontem o INE publicou o indicador de actividade económica que cresceu 3%, em Maio, quando comparado com o mesmo período do ano passado. Este é o aumento mais acentuado da actividade económica desde Maio de 2001.

 

Estes dados corroboram assim uma série de revisões em alta das estimativas para a economia nacional. A última indicação foi deixada pelo comissário Europeu dos Assuntos Económicos, Pierre Moscovici, que assumiu estar "impressionado" com os progressos conseguidos por Portugal, desde a sua última visita em Fevereiro deste ano. E admitiu que o produto interno bruto (PIB) nacional cresça mais de 2,5% este ano.

A última previsão de Bruxelas para Portugal apontava para que a economia crescesse 1,8% este ano, valor idêntico à estimativa do Governo liderado por António Costa no Orçamento do Estado.

 

Nos últimos tempos têm sido várias as instituições a reverem em alta as previsões para a economia nacional. A última foi o BBVA que elevou para 2,6% a sua estimativa para a economia nacional.




A sua opinião14
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

Isto é a Geringoça do "assunto encerrado", depois vem as demissões(caso galp), 64 mortes depois vem cerca de100, reforma da floresta depois roubo de terras, ...

Anónimo Há 3 semanas

Ainda gostava de ver o PSD a governar num estado de graça, sim porque quando tem governado é só para apanhar os cacos deixados pelo XUXALISMO.

Anónimo Há 4 semanas

Para quando agradecer ao Governo chefiado por Passos Coelho. Foram os grandes heróis que possibilitaram, alguma estabilidade, propícia a aproveitar a conjuntura económica favorável que se atravessa. A "música" que no coreto da romaria, toca a banda geringonça, é similar à já passada, sobretudo entre 2005 e 2011. Os portugueses cumpridores e responsáveis estão atentos às "orquestras" que a ABRILADA, teima impingir-lhes!!!

Jorge Há 4 semanas

300 caracteres não são suficientes para elaborar um pensamento completo e fundamentado. Há uma ferramenta muito boa para as zonas de comentários chamada DISQUS. Vejam lá isso, caros senhores do Jornal de Negócios.

ver mais comentários
pub