Orçamento do Estado BE para o PS: "Voltar atrás com a palavra dada é o pior que a política pode dar às pessoas"

BE para o PS: "Voltar atrás com a palavra dada é o pior que a política pode dar às pessoas"

O arranque do último dia de debate do Orçamento do Estado para 2018 foi quente, com o Bloco a pedir explicações ao PS por levar de novo a votos a contribuição sobre a energia renovável.
A carregar o vídeo ...
Marta Moitinho Oliveira 27 de novembro de 2017 às 15:38

O último dia de debate do Orçamento do Estado para 2018 começou com o Bloco de Esquerda a desafiar o PS a dizer se vai mudar o sentido de voto sobre a nova contribuição sobre as empresas de energia renovável, depois de na sexta-feira o PS ter aprovado a proposta bloquista. 

"Quer o PS alterar o seu sentido de voto? E quer porquê?", a pergunta foi deixada pelo bloquista Jorge Costa depois de ter afirmado que "voltar atrás com a palavra dada é o pior que a política pode dar às pessoas". 

Jorge Costa explicou que a nova taxa proposta pelo Bloco foi negociada "passo a passo com o Governo". 

Luís Testa, o deputado do PS que respondeu a Jorge Costa, não explicou como o PS vai votar mas elencou uma lista de medidas que o Governo tem tomado e que pretendem ajudar os consumidores, entre elas o alargamento da tarifa social na electricidade. 

O suspense vai assim manter-se até à nova votação desta proposta marcada para esta tarde.

O Parlamento aprovou uma nova taxa que se aplicará aos produtores de energia renovável que estão isentos do pagamento da contribuição extraordinária sobre o sector energético (CESE), com o objectivo de reduzir o défice tarifário. O objectivo é que os operadores que tenham sido licenciados sob regime especial – o que significa que têm remunerações garantidas – sejam todos abrangidos pela contribuição.

O PS pediu para repetir esta segunda-feira a votação.









A sua opinião8
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado SÍTIO MUITO MANHOSO Há 2 semanas


... se o P.S. não aprovar a redução das facturas da electricidade , deve o B.E. , P.C.P. e os VERDES votar contra o O.E. !!!
AFINAL, ONDE ANDA A " PALAVRA DADA , PALAVRA HONRADA ? ? ?

comentários mais recentes
Pedro Há 2 semanas

Então porque é que o Bloco não se preocupou em voltar atrás com a palavra, juntamente com o PS, quando foi para manter a sobretaxa para os escalões de maior rendimento em 2017?

IRRESPONSABILIDADE SEJA DA ESQUERDA OU NÃO, NÃO PR Há 2 semanas

Felizmente que o PS acordou a tempo e não irá na treta da distribuição, a torto e a direito, até já não haver nada.

FELIZMENTE !

Anónimo Há 2 semanas

Catarina foi phodida e não apreciou a brincadeira...ou está a disfarçar ?

PS Há 2 semanas

O Bloco está farto de saber que o PS não tem palavra ! E o PC também ! Não se armem agora em virgens ofendidas ! Andam a lamber o PS e no fim levam um pontapé !

ver mais comentários
pub