Política BE quer "reconstrução" de direitos laborais e crescimento económico para todos

BE quer "reconstrução" de direitos laborais e crescimento económico para todos

A coordenadora do Bloco de Esquerda (BE), Catarina Martins, pediu medidas para que o crescimento económico "chegue a todas as pessoas", defendendo "a reconstrução" de "direitos na legislação laboral que permitam a valorização de todos os salários".
BE quer "reconstrução" de direitos laborais e crescimento económico para todos
Miguel Baltazar
Lusa 23 de julho de 2017 às 19:07

"É importantíssimo dar este passo, fazer com que o crescimento económico chegue a todas as pessoas", disse Catarina Martins, em declarações aos jornalistas, durante uma visita este domingo à Feira das Actividades Culturais e Económicas do Concelho de Odemira (FACECO), que está a decorrer desde sexta-feira na vila de São Teotónio.

 

A líder do BE defendeu que "para isso, é necessário reconstruir direitos na legislação laboral que permitam a valorização de todos os salários", não só no sector público, como também no privado. "Eu acho que a grande responsabilidade que existe agora é que a próxima sessão legislativa consiga a reconstrução dos direitos do trabalho, que permita a valorização de salários no sector privado também", disse, acrescentando que "foi possível acabar com os cortes nos salários que eram inconstitucionais" e que "houve um esforço que foi feito para proteger pensões".

 

Além disso, Catarina Martins defende que o Orçamento do Estado "reponha a progressividade no IRS" e "descongele as carreiras da Função Pública". "Façamos o que temos a fazer para descongelar as carreiras da Função Pública no Orçamento do Estado, mas que consigamos também recuperar a legislação laboral para que haja uma verdadeira valorização de salários no sector privado. Isso é essencial para que o crescimento económico chegue a todas as pessoas", reforçou.

 

O secretário-geral do PS e primeiro-ministro, António Costa, afirmou no sábado que Portugal "vai ter este ano, seguramente, o maior crescimento económico de todo o século XXI" e que o trabalho desenvolvido pelo Governo demonstra que "a mudança está a acontecer".

 

Para Catarina Martins, este "crescimento económico" confirma aquilo que o BE tem defendido, ou seja, que "era recuperando salários e pensões, dando condições de vida às pessoas, que a economia podia crescer e reagir e por isso era tão importante ter uma política diferente da que foi seguida pela direita ao longo de tanto tempo".

 

Caso não seja feita a "reconstrução dos direitos laborais", a dirigente do BE acredita que "o crescimento económico (...) não vai reproduzir-se nas famílias". "Haverá alguns a ficarem com muito dinheiro e outros continuarão exactamente na mesma", apontou.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 24.07.2017

oferecer empréstimos entre particular, curto e longo prazo de € 5000 a € 35.000 milhões .Assim se você precisar de crédito, não hesite em contactar-me para mais informações sobre minhas condições entre em contato comigo por e-mail: finance-projet@protonmail.com / financeprojectgroupe@gmail.com

Já vais tarde... 23.07.2017

Nos últimos tempos fica a sensação que o BE entrou na máquina do tempo e recuou 10 ou 15 anos... Em vez de andarem a sonhar alto, resolvam antes o problema dos impostos e segurança social dos trabalhadores independentes que a geringonça prometeu mas fez ZERO!!!

pub