Europa Bélgica assume não poder assinar acordo comercial com Canadá

Bélgica assume não poder assinar acordo comercial com Canadá

Apesar dos esforços para se tentar contornar o bloqueio da Valónia, a Bélgica já assumiu que não poderá assinar o acordo entre União Europeia e Canadá.
Bélgica assume não poder assinar acordo comercial com Canadá
REUTERS
Negócios 24 de Outubro de 2016 às 13:53

O novo impasse nas negociações para o acordo comercial entre a União Europeia e o Canadá. O primeiro-ministro belga, Charles Michel, informou o presidente do conselho europeu, Donald Tusk, que a Bélgica não poderá assinar o acordo porque não conseguiu a concordância de todos os executivos regionais.

"Informei, oficialmente, Tusk que não temos acordo", declarou o primeiro-ministro belga, em conferência de imprensa, citado pela Reuters, realizada depois do encontro com os líderes regionais.

A União Europeia deu à Bélgica um prazo até esta segunda-feira para tentar ultrapassar a oposição da região da Valónia, para que fosse ainda possível cancelar a cimeira que teria lugar quinta-feira com o primeiro-ministro canadiano Justin Trudeau que deveria servir para a assinatura do acordo.

Mas Charles Michel acrescentou estar ainda aberto ao diálogo com a região de Valónia, e considerou ser ainda muito cedo para dizer se o acordo (CETA) morreu.

A União Europeia tem feito esforços de última hora para tentar desbloquear a oposição da Valónia, que levaram sexta-feira o Canadá a abandonar as negociações.

A Valónia, que representa menos de 1% da população da União, bloqueou o acordo, devido a preocupações com o impacto que poderá ter no aumento da importação de produtos de suíno e bovino e também em relação ao mecanismo de resolução de conflitos entre as partes dos dois continentes, que podem ser usadas pelas multinacionais em seu benefício.



A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

" devido a preocupações com o impacto que poderá ter no aumento da importação de produtos de suíno e bovino e também em relação ao mecanismo de resolução de conflitos entre as partes dos dois continentes, que podem ser usadas pelas multinacionais em seu benefício."

1% será o suficiente para arruinar um acordo que 9 Há 1 semana

Será assim ?

Anónimo Há 1 semana

Ao menos os Valões têm politicos que os defendem ! Ao contrário dos Portugueses , que há mto tempo estão de cócoras.

pub
pub
pub
pub