Autarquias Bicicletas partilhadas de Lisboa arrancam amanhã

Bicicletas partilhadas de Lisboa arrancam amanhã

A rede de bicicletas partilhadas de Lisboa começa a funcionar na terça-feira, após uma fase de testes que registou mais de 20.000 viagens desde Junho, informou hoje a Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa (EMEL).
Bicicletas partilhadas de Lisboa arrancam amanhã
Sérgio Lemos/Correio da Manhã
Lusa 18 de setembro de 2017 às 17:44
A nova fase do sistema de bicicletas públicas partilhadas da EMEL, com a marca Gira - Bicicletas de Lisboa, começa com 10 estações instaladas no Parque das Nações, com uma capacidade de 100 bicicletas, a que "irão faseadamente adicionar-se as restantes estações à operação, até perfazer as 140 estações e 1.410 bicicletas que compõem o sistema", explicou a empresa, em comunicado.

Das 140 estações, 92 ficarão localizadas no planalto central da cidade, 27 na baixa e frente ribeirinha, 15 no Parque das Nações e seis no eixo entre as avenidas Fontes Pereira de Melo e da Liberdade.

Todas as bicicletas estarão associadas a uma aplicação móvel (intitulada 'Lisboa Bike Sharing'), através da qual será possível utilizar a rede, facilitando a deslocação na cidade e ajudando na localização das estações e das bicicletas.

"O serviço Gira tem três modalidades de adesão: o Passe Anual e o Passe Mensal, destinado apenas a residentes em Portugal, com um custo de 25 euros e 15 euros, respectivamente, e o Passe Diário com um custo de 10 euros. A estes valores de subscrição do serviço acrescem as tarifas de utilização que têm como objectivo promover a utilização do sistema para viagens pendulares (casa-trabalho ou casa-escola), tipicamente de curta duração, por oposição às viagens de lazer", acrescentou a EMEL.

A fase de testes do programa teve início a 21 de Junho no Parque das Nações, desde quando 1.600 utilizadores experimentaram o sistema, tendo realizado 20.832 viagens e percorrido uma distância superior a 40.000 quilómetros, divulgou a EMEL.

A classe etária predominante de utilizadores vai dos 31 aos 40 anos e um terço dos utilizadores realizou 10 ou mais viagens durante esta fase.

Dois terços dos utilizadores são do género masculino e um terço feminino e 89% do total preferiu utilizar bicicleta eléctrica.

O investimento da EMEL no projecto é na ordem dos 23 milhões de euros, através de um contrato de prestação de serviços celebrado com a empresa portuguesa Órbita, para um período de oito anos.



A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
pertinaz Há 2 horas

ESTAS BICICLETAS CUSTARAM MILHÕES AO ERÁRIO PÚBLICO... TÍPICO DA ESCUMALHA QUE NOS DESGOVERNA...!!!

Anónimo Há 2 horas


É verade. Entretanto o presidente e os seus muchaços continuam a deslocar-se em veículos poluentes pagos pelo erário público. Assim qualquer um é socialista ....

Anónimo Há 3 horas

Copianços

Com dinheiro alheio até nós os pagantes oferecíamoa um guarda-chuva para nos protegermoa da chuva na viagem... Não fosse algum holandês molhar-se...

weaine Há 5 horas

Contact Kayzed Consultants


Kayzed Helps the organization in getting ISO Certification and other significance done smoothly and cost effectively. Just fill the simple form and get in touch with us for any kind of services as ISO consultancy training, certification against various standards li

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub