Economia Big Mac terá mesmo duas taxas de IVA diferentes

Big Mac terá mesmo duas taxas de IVA diferentes

Um IVA para a comida, outro para as bebidas: os restaurantes que vendam menus ou serviços completos de refeições terão de calcular o imposto produto a produto. Caso contrário, pagam 23% sobre tudo. A clarificação consta das propostas de alteração do PS ao Orçamento.
Big Mac terá mesmo duas taxas de IVA diferentes
Bruno Simão
Elisabete Miranda 04 de março de 2016 às 18:50

Como vai ser o IVA do meu Big Mac?, perguntava há dias o director-geral da McDonald's ao Negócios, preocupado com os efeitos que o desdobramento de taxas virá criar para quem vende refeições compostas. O PS prepara-se para apresentar uma proposta de alteração ao Orçamento do Estado onde responde à dúvida: o IVA do Big Mac terá de ser repartido em função dos produtos que compõem o menu. Se a empresa não conseguir fazê-lo, aplica-se o IVA do produto mais alto, isto é, 23%.

 

O que é aplicável ao Big Mac é extensível a todo e qualquer menu ou à venda de serviços de refeições em pacote (como acontece nos casamentos ou baptizados, onde o preço é negociado com tudo incluído).

 

Nestes casos, "o valor tributável deve ser repartido pelas várias taxas, tendo por base a relação proporcional entre o preço de cada elemento da operação e o preço total que seria aplicado de acordo com a tabela de preços ou proporcionalmente ao valor normal dos serviços que compõem a operação".

 

Ou seja, um menu, com preço único, que inclua comida, vinho e café, terá de calcular separadamente o IVA implícito sobre o preço que a comida, o vinho e o café têm na factura final. "Não sendo efectuada aquela repartição, é aplicável a taxa mais elevada à totalidade do serviço", diz a proposta de alteração.

 

Pelo caminho fica a pretensão da AHRESP (associação de hotelaria, restaurantes e similares) de ver também os sumos e néctares a baixarem de 23% para os 13% de IVA. Neste aspecto, o PS mantém a redacção da lei como estava, apenas abrangendo pela descida de taxa a alimentação, os serviços de cafetaria e águas não gaseificadas. 

A intenção inicial do PS era a de desagravar o IVA para todos os serviços de restauração, repondo-os à taxa intermédia de IVA. Contudo, quando confrontados com a perda potencial de receita, superior ao estimado inicialmente, o Governo resolveu partir a descida em duas fases: este ano, a partir de Julho, baixa o imposto para a comida, águas não gaseificadas e produtos de cafetaria. Tudo o resto mantém a taxa normal. 

Portugal não é caso único na aplicação de duas taxas, mas a solução vem trazer complexidades acrescidas no apuramento do imposto. 

O Governo está convencido de que a descida do IVA neste sector conduzirá ao aumento do emprego, mas os estudos feitos até ao momento não mostram uma relação directa entre uma coisa e outra. A medida é, por isso, controversa





A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 04.03.2016

E para a maionese?? Cai na comida liquida...?? Faz-se a média aritmética? E se eu vomitar? Posso pedir a restituição do IVA? E se pedir Cola-Zero fico isento do imposto dos docinhos e salgadinhos??
PALHAÇADA!!! A ideia é desburocratizar e estes ANORMAIS põem-se com complicações FISCAIS!! E pagam-se 3000 eur a estes CROMOS para legislar estas MERDICES..MALDITA GENTE!!! Como poderá o estado ser eficiente com estes ANORMAIS..

comentários mais recentes
João Silva 06.03.2016

Como resultado o mais comum é que fique tudo na mesma com o caso das refeições diárias. Grande reforma em que se mexe muito poucochinho!

Ana 05.03.2016

Big mac é uma comida muito boa, faço questão de comprar para a minha filha todos os dias, sei que lhe faz bem e quando for adulta será uma pessoa saudavel. Claro que não pode faltar a bebida de preferencia cocacola.

Anónimo 04.03.2016

E para a maionese?? Cai na comida liquida...?? Faz-se a média aritmética? E se eu vomitar? Posso pedir a restituição do IVA? E se pedir Cola-Zero fico isento do imposto dos docinhos e salgadinhos??
PALHAÇADA!!! A ideia é desburocratizar e estes ANORMAIS põem-se com complicações FISCAIS!! E pagam-se 3000 eur a estes CROMOS para legislar estas MERDICES..MALDITA GENTE!!! Como poderá o estado ser eficiente com estes ANORMAIS..

genio2 04.03.2016

É só campanha politica, toda gente sabe que o sector que foge mais ao fisco é a restauração, muitos deles ainda se gozam com o sistema tributário, os otários deste desgoverno para tenar ganhar alguns votos, montou esta palhaçada.

pub
pub
pub
pub