Economia Bispo do Porto afasta padres por suspeita de má gestão

Bispo do Porto afasta padres por suspeita de má gestão

Num processo de que não há memória na Igreja nacional, o bispo do Porto afastou, por decreto episcopal, dois padres de todos os cargos que ocupavam na diocese, alegando “conveniência de serviço” e suspeitas de má gestão, noticia o “Jornal de Notícias”.
Bispo do Porto afasta padres por suspeita de má gestão
D. Manuel Linda, bispo do Porto
Negócios 18 de agosto de 2018 às 12:33

A decisão do bispo do Porto tem cerca de um mês e as actas foram agora tornadas públicas: D. Manuel Linda afastou, por decreto episcopal, os padres Jorge Madureira Soares e Hélder Saul Barbosa de todos os cargos que ocupavam na diocese, alegando "conveniência de serviço" e suspeitas de má gestão, revela o "Jornal de Notícias" na sua edição deste sábado, 18 de Julho.

 

O bispo do Porto determinou a perda "dos ofícios eclesiásticos" dos sacerdotes que detinham há anos cargos de gestão no Seminário Menor do Bom Pastor e na Pastoral das Vocações, sendo que Jorge Madureira Soares era ainda director do Colégio Diocesano de Ermesinde e director da Casa da Juventude, enquanto Hélder Saul pertencia à equipa de formação do pré-seminário.

 

Nas actas tornadas públicas, D. Manuel Linda afirma que "diocese do Porto e as suas instituições passam por momento de dificuldades económicas e financeiras pois os recursos são escassos para fazer face a tantas despesas".

 

"Daí que se exija dos administradores eclesiásticos uma razoável e sensata gestão económica e financeira", lê-se no decreto elaborado sobre o caso a que o "Jornal de Notícias" teve acesso.

 

Os dois padres recusaram aceitar a ordem do bispo. Por escrito, disseram que não entendiam os motivos para a sua substituição nos cargos que ocupavam, que foram entretanto tomados por outros padres, e pediram explicações, o que levou "à intervenção  de especialistas em Direito Canónico, à realização de reuniões e à elaboração de actas num processo de que não há memória na igreja nacional", sublinha o mesmo diário.

 

Sem acordo em Portugal, o processo segue agora em recurso hierárquico para a Congregação do Clero, em Roma.




pub