Impostos Bloco diz que alívio de IRS deve "concentrar-se" nos mais penalizados

Bloco diz que alívio de IRS deve "concentrar-se" nos mais penalizados

Catarina Martins admite que alívio de IRS ajuda contribuintes de todos os escalões mas defende que os mais penalizados pelo enorme aumento de impostos devem ser beneficiados. Bloco recorda grupo de trabalho da dívida.
Bloco diz que alívio de IRS deve "concentrar-se" nos mais penalizados
Miguel Baltazar/Negócios
Marta Moitinho Oliveira 18 de setembro de 2017 às 12:25

A líder do Bloco de Esquerda defendeu esta segunda-feira, 18 de Setembro, que o alívio de IRS previsto para 2018 deve "concentrar-se" nos contribuintes mais penalizados pelo "enorme aumento de impostos" que vigora desde 2013.

Catarina Martins falava aos jornalistas à margem de uma visita ao hospital das Caldas da Rainha, comentava assim a garantia deixada por Mário Centeno na entrevista à RTP quando afirmou que a redução do IRS vai beneficiar "todos os escalões".

A coordenadora bloquista acrescentou que sobre o alívio fiscal "era bom que fossem tomadas duas decisões": Que a baixa do IRS fosse "significativa" e "havendo um alívio, este deve concentrar-se nos escalões mais penalizados".

No entanto, Catarina Martins admite que se houver mexidas no IRS "terá um alívio positivo em vários escalões", lembrando que a proposta do Bloco de Esquerda passa por desdobrar os segundo e terceiro escalões.

Quanto à redução da dívida pública, que Mário Centeno diz que vai ter a "maior redução em 19 anos", a líder bloquista deixou uma espécie de lembrete ao Executivo. "O grupo de trabalho da dívida [no qual o Bloco e o Governo participaram] tinha propostas muito concretas. Vamos aguardar para ver como o Governo vai baixar a dívida".  




A sua opinião15
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 4 dias

Os agregados familares que recebem 45 ou 50 mil anuais sao gente rica para o BE e também para este PS e podem continuar pagar quase 40% de IRS!!!!!

comentários mais recentes
As Greves Políticas PCP BE PSD Há 1 semana

Com os resultados Autárquicas,era sabido, o PCP e o BE iam deitar Mãos as poderosas Armas Politicas, e mandatários Sindicais, tal como o PSD ha muito vem fazendo com Enfermeiros, como o Povo vai reagir nas próximas Eleições face as greves previstas ? Castigar os Responsáveis das Greves com + ou - %?

Já não Há Mentira que Pegue Há 3 semanas

Não se vê Razão nenhuma para votar em outro Partido nas eleições, vê-se Todas as Razões para Votar no PS, 1º porque ninguém quer voltar a Trás, aos Saques do PSD e CDS,2º Acabar com a dependência do BE, já que o PSD se Auto Excluio das Soluções para Portugal, agarrados que estavam ao TACHO.

A Tentar Perceber Há 3 semanas

Não se vê Razão nenhuma para votar em outro Partido nas eleições, vê-se Todas as Razões para Votar no PS, 1º porque ninguém quer voltar a Trás, aos Saques do PSD e CDS,2º Acabar com a dependência do BE, já que o PSD se Auto Excluio das Soluções para Portugal, agarrados que estavam ao TACHO.

Já não Há Mentira que Pegue Há 3 semanas

Não se vê Razão nenhuma para votar em outro Partido nas eleições, vê-se Todas as Razões para Votar no PS, 1º porque ninguém quer voltar a Trás, aos Saques do PSD e CDS,2º Acabar com a dependência do BE, já que o PSD se Auto Excluio das Soluções para Portugal, agarrados que estavam ao TACHO.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub