Impostos Bloco diz que Governo hesita em aliviar carga fiscal das famílias à espera de ano eleitoral de 2019

Bloco diz que Governo hesita em aliviar carga fiscal das famílias à espera de ano eleitoral de 2019

A formação política que suporta o Governo PS no Parlamento defende que face à actual folga orçamental este é o momento para baixar impostos e beneficiar "a economia e as pessoas."
Bloco diz que Governo hesita em aliviar carga fiscal das famílias à espera de ano eleitoral de 2019
Alexandre Azevedo/ Sábado
Negócios 02 de setembro de 2017 às 12:05
O Bloco de Esquerda insiste na necessidade de aliviar a carga fiscal em 600 milhões de euros e diz que, se o Governo não vai mais longe nessa redução de impostos para as famílias, é porque se está a guardar para o ano das eleições legislativas.

Em entrevista ao Diário de Notícias deste sábado, 2 de Setembro, no final da primeira ronda negocial com o Governo, o deputado bloquista Jorge Costa, defende que tendo em conta a actual folga orçamental este é o momento para baixar impostos e beneficiar "a economia e as pessoas."

Sem referir em quanto o Governo se disponibilizou para ir além dos 200 milhões de euros de alívios inscritos no PEC, o parlamentar afirma ainda assim que os valores "estão muito longe de poder corresponder às expectativas" que o Executivo tem criado.

O partido que apoia o PS no Governo quer dois novos escalões no IRS, defende novos aumentos extraordinários das pensões e espera que haja consenso em matéria de cativações, no sentido de haver mais transparência e controlo.

Apesar de dizer que há tempo para BE e o Executivo negociarem, o deputado diz que é na questão do descongelamento das carreiras dos funcionários públicos em que há maior demora do Governo em consolidar uma proposta inicial.

"O nosso objectivo é poder votar a favor [do Orçamento], poder dar sequência à política de recuperação de rendimentos que vem das sessões legislativas anteriores, continuamos focados nesse objectivo," refere Jorge Costa.



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 02.09.2017

o BE deve andar desorientado, deve ser por causa da AutoEuropa, então não baixar impostos é eleitoralisno? (Querem ver que com aumento de impostos ainda batem palmas). Se não estão de acordo podem sempre sair do governo... (ups! BE não tem coragem para ser governo)

Ó Bloco de Estupidos, seus hipócritas... 02.09.2017

E aliviar a carga de dívida do lombo do Portugueses?
Dívida essa que o teu governo aumenta à velocidade de 10 mil milhões €/mês, não dizem nada? Nem 1 pio?
Ou pensam que vão ficar toda a vida montados no lombo dos Portugueses, sugando-os até à ultima gota de sangue.
Ai se a hipocrisia matasse..

Saber mais e Alertas
pub