Segurança Social Bloco quer complemento para reformas antecipadas desde 2014

Bloco quer complemento para reformas antecipadas desde 2014

O objectivo do BE é compensar quem se reformou desde essa data até 2016, quando o actual Governo suspendeu a aplicação do factor de sustentabilidade aprovado pelo anterior Executivo e que retirou até 71,4% do valor da pensão aos reformados antecipadamente.
Bloco quer complemento para reformas antecipadas desde 2014
Miguel Baltazar
Negócios 28 de agosto de 2017 às 09:31
Os trabalhadores que pediram reforma antecipada entre 1 de Janeiro de 2014 e 2016 poderão vir a receber um complemento de reforma a título de correcção relativo a esse período.

É o que pretende o Bloco de Esquerda, que leva a proposta de pagamentos retroactivos para as negociações do Governo no âmbito do Orçamento do Estado para 2018.

Segundo o Diário de Notícias desta segunda-feira, 28 de Agosto, que avança a intenção do BE, o objectivo é rever as pensões "miseráveis" (palavras da líder bloquista, Catarina Martins) que está a receber os que "foram levados" (e aqui as declarações já são do deputado do BE José Soeiro) a pedidos de reformas muito penalizados - "até 71,4% do valor da pensão."

A medida terá um impacto no OE de 48,6 milhões de euros por ano, estima o deputado ao DN.

A proposta bloquista é que os que se reformaram neste período - até que o actual Governo suspendeu a medida que alterou o cálculo dos factores de sustentabilidade, impondo as penalizações - possam assim ser ressarcidos da forte queda tiveram nas suas pensões.

O BE regressa às negociações com o Governo para o OE esta terça-feira.

O tema das pensões é um dos que parece estar a dominar as conversas em torno do Orçamento para o próximo ano. Na semana passada, o PCP revelou estar a discutir com o Governo soluções para um novo aumento das pensões acima do que resulta da actualização prevista na lei. 

No Conselho de Ministros de 24 de Agosto, o Governo aprovou finalmente o fim dos cortes para carreiras muito longas, uma medida ainda considerada insuficiente pelos parceiros à esquerda. 




A sua opinião12
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Lopes 28.08.2017

Cuidado que esta artista está feita para rapinar o Fundo de Pensões deixando-o limpinho para os que hão-de vir. O que lhes interessa é garantir o voto hoje para continuarem a mamar.

comentários mais recentes
Anónimo 31.08.2017

inventaram as reformas antecipadas para mais tarde justificar os cortes ás custas do desemprego, e do factor de sustentabilidade baseado na esperança média de vida ! ... estas foram as verdadeiras medidas que tanto prejudicou a grande parte dos reformados por antecipação , sejamos sérios , LUTEM

Anónimo 31.08.2017

Parabéns a esta GRANDE MULHER COM CORAGEM, têm toda razão, porque è que quem se reformar apartir de 01 Outubro de 2017, não têm penalizações, Os restantes Portugueses que se reformaram nos de 2014 a 2017,(Setembro) têm corte fator de sustentabilidade exatamente com a mesma idade e os mesmos desconto

Anónimo 29.08.2017

AINDA NAO TRATASTE DA REFORMA ANTECIPADA E JA ESTAS A PEDIR MAIS, VAI APAGAR FOGOS

Anónimo 28.08.2017

Esta malta da esquerda é excessivamente bacoca. Se analisarmos as análises e propostas desta gente até metem dó. Vê-se mesmo que estão na caça do voto.

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub