Cultura Bob Dylan é o Nobel da Literatura 2016

Bob Dylan é o Nobel da Literatura 2016

A Academia Sueca das Ciências anunciou esta quinta-feira o nome de Bob Dylan como Prémio Nobel da Literatura 2016.
O cantor e compositor norte-americano Bob Dylan foi declarado esta quinta-feira, 13 de Outubro, vencedor do prémio Nobel da Literatura 2016. 

A surpreendente escolha de Dylan, de 75 anos, foi justificada pela Academia Sueca das Ciências por "ter criado novas expressões dentro da grande tradição sonora norte-americana", citada pela Reuters.

A carreira do artista norte-americano - nascido Robert Allen Zimmerman 24 de Maio de 1941, em Duluth, no estado do Minnesota - iniciou-se nos anos 60 do século passado, estando associado a movimentos pacifistas e de direitos civis. 

O Nobel da Literatura - um prémio que ascende a 8 milhões de coroas suecas (821,8 mil euros) - é o último a ser entregue por aquela entidade, que distingue feitos nas áreas da ciência, literatura e da paz.

Dylan estreou-se na edição discográfica em 1962, com um disco homónimo, marcando os anos 60 dos EUA e do mundo com um total de nove discos nessa década. Vindo da tradição da folk, tendo como grande referência autores anteriores como Woody Guthrie ou Pete Seeger, foi figura de relevo na contra-cultura americana que emanou de Greenwich Village, em Nova Iorque.

Desde o início, as letras das suas canções misturaram poesia e mensagem de intervenção, captando o momento de viragem que se ia vivendo, como é disso exemplo "Masters of War" ou "The times they are a changing". Será aqui, mais do que na escrita de livros, que a Academia Sueca das Ciências se baseou para o mais prestigiado prémio literário do mundo.

Em 1965, já figura de proa no mundo fechado da folk, acaba por dar um grito de revolta musical ao tocar no conceituado Festival de Newport com guitarra eléctrica, provocando críticas da audiência. Sinal, apenas mais um, de um músico em transformação e que queria continuar a crescer e a ser relevante. 

Nunca deixou de editar discos, contando com mais de 30 edições, a última das quais "Fallen Angels", já deste ano. Neste disco, tal como no anterior, Dylan interpreta versões de clássicos do cancioneiro americano, a maior parte deles tornados célebres na voz de Frank Sinatra.

Em termos de livros, são poucos. Há "Tarântula", de 1971, uma obra poética, e também o mais recente primeiro volume de "Chronicles", a sua autobiografia, sendo o restante compilações de letras de canções e também de ilustrações.

Tanto "Tarântula" como "Chronicles" conheceram edição em Portugal.



A sua opinião10
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Arseni Abel Há 3 semanas

Ó pós-moderna tristeza! Tantos poetas de tradição oral sem página impressa, na Macedónia, no Darbande parsi, nos atóis de Tuvalu, mas com obra originalissima, e foram logo escolher este drunfado amaricano...

Os suecos vendem-se à máfia americana da ganza por um punhado de dolares.

Criador de Touros Há 3 semanas

Podem bater à vontade...

PRÉMIO MERECIDO Há 3 semanas

Ó CRIADOR de TOUROS, afinal concordamos em alguma coisa. Vejo que tem um bom gosto musical. Politicamente estamos em campos opostos. Mas todos nós temos "defeitos". Futuramente serei mais macio, quando discordar de si. Muitos irão discordar, mas o Bob merece o prémio.

Criador de Touros Há 3 semanas

Maria Joana ? Então os escritores mais famosos não são famosos também por andarem metidos há mais de 200 anos com essa pega ? As coisas que as pessoas desconhecem !...

ver mais comentários
pub