União Europeia Bruxelas deve considerar despesas com os incêndios como "excepcionais"

Bruxelas deve considerar despesas com os incêndios como "excepcionais"

Pierre Moscovici defende que as despesas do país resultantes dos incêndios não devem ter impacto na avaliação orçamental que é feita pela Comissão Europeia.
Bruxelas deve considerar despesas com os incêndios como "excepcionais"
Lusa 19 de outubro de 2017 às 12:08

O comissário europeu dos Assuntos Económicos, Pierre Moscovici, defendeu hoje que as despesas públicas resultantes dos devastadores incêndios em Portugal sejam consideradas como "circunstâncias excepcionais", sem consequências na avaliação orçamental a fazer por Bruxelas.

 

"Parece-me absolutamente natural que, da mesma forma que considerámos circunstâncias excepcionais a ameaça terrorista em certos países da União Europeia ou tremores de terra, como foi o caso em Itália, tenhamos uma abordagem inteligente e humana face às despesas públicas das autoridades portuguesas para fazer face aos incêndios, e que sejam consideradas circunstâncias excepcionais no quadro de avaliação do orçamento", declarou, em Bruxelas.

 

Moscovici, que falava à imprensa portuguesa após ouvir uma intervenção do primeiro-ministro, António Costa, numa conferência sobre convergência económica na sede do executivo comunitário, garantiu que "a Comissão Europeia está evidentemente mais que sensibilizada" com a tragédia que aflige o povo português, e estará "ao lado de Portugal", com "uma abordagem inteligente, subtil e flexível das dessas despesas".




pub