Orçamento do Estado Bruxelas: Riscos e discrepâncias no OE

Bruxelas: Riscos e discrepâncias no OE

A Comissão Europeia solicitou hoje esclarecimentos ao Governo português sobre a sua proposta de Orçamento de Estado para 2017, por ter identificado "riscos e discrepâncias" que geram dúvidas sobre cumprimento das metas orçamentais.
Bruxelas: Riscos e discrepâncias no OE
Miguel Baltazar
Tiago Freire 25 de Outubro de 2016 às 19:29

A Comissão Europeia solicitou hoje esclarecimentos ao Governo português sobre a sua proposta de Orçamento de Estado para 2017 (OE2017), dado ter identificado "riscos e discrepâncias" que levantam dúvidas a Bruxelas sobre o cumprimento das metas orçamentais definidas.

Numa carta assinada por Valdis Dombrovskis e Pierre Mosvici, vice-presidente da Comissão e Comissário para os Assuntos Económicos e Financeiros, respectivamente, Bruxelas "projecta de forma preliminar uma ligeira melhoria so saldo estrutural comparativamente a 2016, o que (a confirmar-se), apontaria para o risco de um desvio significativo face à melhoria recomendada de pelo menos 0,6% do PIB".
 
As diferenças têm duas explicações: por um lado, a Comissão Europeia tem um cenário macroeconómico menos optimista do que Orçamento português e, por outro, o documento tem algumas medidas "não suficientemente especificadas". Bruxelas pede, assim, que o Governo português apresente as clarificações solicitadas já até esta quinta-feira, 27 de Outubro.

A Comissão solicita detalhes sobre as projecções "acerca das receitas de todos os impostos e contribuições sociais e transferências", bem como dados actualizados com a execução fiscal deste ano e uma "especificação dos resultados projectados para o recentemente implementado plano de regularização de dívidas fiscais". 






A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
sandro Há 1 semana

https://trabalhocapital.wordpress.com/2016/10/25/oe2017-a-esquerda-aceita-e-a-ue/

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub