Economia Cadastro rústico vai ser gratuito durante dois anos
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Cadastro rústico vai ser gratuito durante dois anos

Até 31 de Dezembro de 2019 os actos necessários para cadastrar um prédio rústico serão gratuitos. No primeiro ano, ainda em projecto-piloto, apenas serão abrangidos dez concelhos. Depois, o processo deverá estender-se a todo o país.
Cadastro rústico vai ser gratuito durante dois anos
Bruno Simão/Negócios
Filomena Lança 02 de novembro de 2017 às 22:30

Os proprietários de prédios rústicos que não tenham todos os papéis em ordem e as suas propriedades devidamente identificadas em termos geográficos têm dois anos para o fazer sem ter de pagar para isso.

)

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

Deveria ser de 10 anos ,2 anos é insuficiente perante a realidade do Pais/povo.Deveria haver nesta matéria um pacto de regime.O resto é presumivelmente terrorismo e levará confisco.Dois anos é amanhâ.

Anónimo Há 2 semanas

Certifiquem-se de que os estúpidos otários da Conservatória e Finanças de Tomar compreendem a coisa.
É que, ando há vários anos a tentar fazer partilhas dos meus falecidos pais e não consigo por ter deixado ultrapassar um qualquer prazo processual. Não tarda, fecho os olhos e quem cá ficar que se desmerde. Nada naquele concelho vale o peido duma velha, exceptuando os já idos Casa Salgado, livraria Caravela, tasca da Praça e ainda actualmente a barragem de Castelo de Bode e as famosas e raras Silercas quiçá as melhores e mais saborosas da península.

Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub