África Cahora Bassa prepara entrada na bolsa de Moçambique

Cahora Bassa prepara entrada na bolsa de Moçambique

Estado moçambicano quer vender 7,5% do capital da Hidroeléctrica de Cahora Bassa, empresa onde a REN detém uma participação de 7,5%. OPV ainda não tem data marcada.
Cahora Bassa prepara entrada na bolsa de Moçambique
Mike Hutchings/Reuters
Negócios com Lusa 12 de fevereiro de 2018 às 10:34

A empresa Hidroeléctrica de Cahora Bassa (HCB) lançou esta segunda-feira, 12 de Fevereiro, um concurso para encontrar um parceiro para a operação de dispersão na Bolsa de Valores de Moçambique (BVM) de 7,5% das suas acções, anunciou a empresa.

A firma vai seleccionar uma "entidade líder de intermediação financeira para prestar serviços relacionados com a organização, registo, obtenção de autorização, publicitação, lançamento e execução da oferta pública de venda (OPV) de acções da HCB", anuncia em comunicado.

Ao que tudo indica, a estratégia passa por dispersar 7,5% da hidroeléctrica onde a REN possui uma participação de 7,5%. A OPV ainda não tem data marcada e foi anunciada pelo Presidente de Moçambique, Filipe Nyusi, a 27 de Novembro de 2017.

A empresa espera "contribuir para a promoção da inclusão económica dos moçambicanos, bem como para a consolidação da credibilidade da HCB junto dos principais participantes no empreendimento, nacionais e internacionais, com enfoque para as instituições financeiras".

A HCB é detida a 85% pelo Estado moçambicano, depois do acordo de reversão com Portugal, celebrado em 2007, o qual teve como protagonistas oe então primeiro-ministro português e o presidente angolano, José Sócrates e Armando Guebuza. Nessa altura, o Estado português vendeu parte da participação de 82% que detinha em Cahora Bassa por 760 milhões de euros.

Posteriormente, em Abril de 2012 Portugal vendeu os restantes 15% que detinha na hidroeléctrica  por 74 milhões de euros, sendo que participação foi dividida em partes iguais por uma empresa moçambicana e pela REN.

 

Situada no rio Zambeze, na província de Tete, centro de Moçambique, a barragem é a maior da África Austral, com construção iniciada em 1969 e operação a partir de 1977. Além de abastecer o mercado de Moçambique, a HCB fornece energia eléctrica a vários países da África Austral.




pub