Conjuntura Caldeira Cabral: Crescimento da economia contraria "discurso negativo e pessimista"

Caldeira Cabral: Crescimento da economia contraria "discurso negativo e pessimista"

O ministro avisou que o crescimento anunciado esta terça-feira pelo INE vai obrigar as instituições e internacionais a reverem as suas previsões de crescimento.
Caldeira Cabral: Crescimento da economia contraria "discurso negativo e pessimista"
Miguel Baltazar / Negócios
André Cabrita-Mendes 15 de Novembro de 2016 às 17:30
O crescimento do PIB em 1,6% no terceiro trimestre contraria o "discurso negativo e pessimista" sobre o estado da economia portuguesa, defende o ministro da Economia.

"Saudamos como muito positivos os indicadores de melhoria da actividade económica, que invertem a desaceleração verificada ao longo de 2015", começou por apontar Manuel Caldeira Cabral esta terça-feira, 15 de Novembro, no Parlamento.

"Mas estes indicadores invertem também um discurso mais negativo e pessimista baseados nos dados do primeiro trimestre que vinham dessa desaceleração económica", acrescentou, referindo-se às críticas da oposição do PSD e CDS.

Destacou assim o crescimento económico dos últimos meses, a boleia do aumento das exportações, mas também a redução da taxa de desemprego, a par do aumento do investimento estrangeiro.

O ministro sublinhou que os dados disponíveis nos últimos meses não permitiriam "dizer que havia uma falha do modelo económico, baseando-se apenas em dados do primeiro trimestre, quando o Orçamento do Estado ainda não estava aprovado".

A melhoria do "crescimento económico vai obrigar à revisão das estimativas de crescimento das instituições nacionais e internacionais", apontou.

"A economia portuguesa está a crescer e está a ter um ciclo de aceleração do crescimento. Vamos continuar a trabalhar", garantiu o ministro.



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Pedro Lima Há 3 semanas

Viva a fantasia! Como é que podemos ter exportado mais num trimestre que engloba o mês de férias dos portugueses? E se houve aumento do consumo interno foi meramente sazonal e explicado pelas férias. Palhaços, aldrabões e corruptos!

surpreso Há 3 semanas

Aldrabão .O 3ºtr de 2015 foi o mais baixo dos últimos dois anos.O crescimento até agora, estava muito atrás do que o previsto

pub
pub
pub
pub