Emprego Caldeira Cabral diz que descida do desemprego prova "bom momento" da economia

Caldeira Cabral diz que descida do desemprego prova "bom momento" da economia

O ministro da Economia afirmou hoje que os mais recentes números do INE sobre o desemprego mostram que a economia portuguesa "vive um bom momento", mas sublinhou que "há que continuar a trabalhar", nomeadamente para baixar o desemprego jovem.
Caldeira Cabral diz que descida do desemprego prova "bom momento" da economia
Miguel Baltazar
Lusa 29 de novembro de 2017 às 18:39
"É um bom momento que a economia portuguesa vive, está a ter consequências sociais interessantes, mas o desemprego ainda está nos 8,5 [%] e há que continuar a trabalhar para reduzir este nível desemprego, olhando para áreas como o desemprego jovem, que continua ainda muito elevado", referiu Manuel Caldeira Cabral, em Braga.

O Instituto Nacional de Estatística (INE) reviu hoje em baixa de 0,1 pontos percentuais a taxa de desemprego de Setembro para os 8,5%, o valor mais baixo desde Abril de 2008, estimando para Outubro uma manutenção deste valor.

Um ano antes, em Outubro de 2016, a taxa de desemprego situava-se nos 10,6%.

O valor apurado para Setembro representa uma descida em 0,3 pontos percentuais face ao mês anterior e menos 0,6 pontos percentuais em relação a três meses antes, sinaliza o INE.

A estimativa provisória da população desempregada foi de 436,9 mil pessoas, enquanto a estimativa provisória da população empregada foi de 4,711 milhões de pessoas.

Segundo o INE, em Setembro, a taxa de desemprego dos jovens (provisória) situou-se em 25,6%, contra os 24,6% observados no mês precedente.

Na reacção a estes números, o ministro da Economia sublinhou que a descida do desemprego "é paralela ao crescimento do emprego, com um aumento de 240 mil postos de trabalho, o segundo mais forte crescimento do emprego nos países da União Europeia".

"Mostram que o dinamismo quer do investimento, quer das exportações, quer obviamente do crescimento do PIB [Produto Interno Bruto], que está a 2,8 [%] desde o princípio do ano, está a ter o seu resultado em mais emprego e menos desemprego, o que é obviamente positivo para as pessoas", afirmou.

Vincou ainda que os números do desemprego "têm vindo sempre a diminuir" praticamente desde a entrada em funções deste Governo, tendo passado de mais de 12% para os atuais 8,5%.

"O crescimento da economia portuguesa está a ter resultados muito interessantes em termos sociais, criando emprego, trazendo as pessoas para o mercado do trabalho", enfatizou o ministro.

Caldeira Cabral falava em Braga, à margem de uma visita à fábrica Torneiras Roriz, que lançou no mercado uma "torneira inteligente", que poupa água e energia.

O dono da fábrica, José Maria Roriz, explicou que a torneira regula o fluxo de água, começando por um fluxo menor, e abre sempre com água fria.

"Quem compra a torneira, sabe 'a priori' que vai gastar metade da água e da energia que estava a gastar", referiu.

Este ano, a empresa terá um volume de negócios de 11 milhões de euros, o que representa um crescimento de 23% em relação ao ano anterior.

Cerca de 70% da sua produção é para exportação.

Tem 70 trabalhadores, sete dos quais admitidos este ano.

Em 2018, a empresa vai construir novas instalações, um investimento de um milhão de euros que permitirá criar mais uma dezena de postos de trabalho.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub