Emprego Caldeira Cabral prevê taxa de desemprego abaixo dos 10% no primeiro trimestre

Caldeira Cabral prevê taxa de desemprego abaixo dos 10% no primeiro trimestre

O ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, disse hoje a taxa de desemprego deverá ficar abaixo dos 10% no primeiro trimestre deste ano, continuando assim a tendência de descida graças "à forte criação de emprego".
A carregar o vídeo ...
Lusa 09 de maio de 2017 às 14:27

"Tudo indica que no primeiro trimestre [a taxa de desemprego] vai ficar abaixo dos 10%. Isso tem a ver com a evolução que aconteceu ao longo de todo o ano, que foi muito positiva e em que se salienta a descida do desemprego pela forte criação de emprego em todos os escalões etários, mas até especialmente marcada no desemprego jovem, que baixou muito ao longo do último ano", disse Manuel Caldeira Cabral, em Sintra, à margem da inauguração do Innovation Center, o novo investimento da tecnológica CGI em Portugal.

 

O Instituto Nacional de Estatística (INE) divulga na quarta-feira as Estatísticas do Emprego relativas ao primeiro trimestre, depois de no trimestre passado a taxa de desemprego se ter situado nos 10,5%.

 

Já na segunda-feira, analistas contactados pela Lusa anteciparam que a taxa de desemprego no primeiro trimestre deverá ter voltado a baixar face a igual período do ano passado.

 

"A boa notícia é que o desemprego em Portugal está já abaixo dos 10%, desceu muito no último ano, quase dois pontos percentuais, mas desceu com base na criação de emprego. O que aconteceu no último ano foi uma fortíssima criação de emprego com um ritmo que já não se via desde há mais de 15 anos e que foi a segunda mais rápida de toda a União Europeia", disse Caldeira Cabral, à Lusa.

 

Segundo o ministro, "os dados da criação de emprego têm sido muito positivos" e "é esta criação de emprego que está a fazer com que mais jovens fiquem em Portugal" e que outros que partiram para o estrangeiro estejam a regressar.

 

Na sexta-feira passada, o INE reviu em baixa de 0,1 pontos percentuais a taxa de desemprego de Fevereiro para 9,9%, o valor mais baixo desde Fevereiro de 2009, estimando para Março uma nova descida para 9,8%.

 

No ano passado, a taxa de desemprego apurada pelo INE para o primeiro trimestre situou-se nos 12,4% (baixando dos 13,7% observados um ano antes).


A sua opinião8
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 2 semanas

O trabalho por si só já não é uma boa medida para aferir a saúde de uma economia nem a sua evolução à escala temporal, mas antes o trabalho e o capital sejam medidas mais correctas, porque para além dos salários pagos a quem oferece factor trabalho e dos lucros empresariais, os agentes económicos, especialmente quanto mais desenvolvida for a economia onde residem, obtêm cada vez mais rendimentos e criam cada vez mais valor através de outros lucros, rendas, mais-valias, dividendos, royalties sobre propriedade intelectual e juros.

comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

O trabalho por si só já não é uma boa medida para aferir a saúde de uma economia nem a sua evolução à escala temporal, mas antes o trabalho e o capital sejam medidas mais correctas, porque para além dos salários pagos a quem oferece factor trabalho e dos lucros empresariais, os agentes económicos, especialmente quanto mais desenvolvida for a economia onde residem, obtêm cada vez mais rendimentos e criam cada vez mais valor através de outros lucros, rendas, mais-valias, dividendos, royalties sobre propriedade intelectual e juros.

Conselheiro de Trump Há 2 semanas

A gerigoncada e formidavel,criou aqui 2 plus com sabor a 2 menos:mais emprego,logo mais publicos na flor da idade mandados para casa com uma pensao superior ao salario de quando andavam empatados.O pensionario olho de vidro ja veio ontem dizer q sao precisos mais CAUDAIS virados aos costas direitas.

Anónimo Há 2 semanas

Queres uma boa nova, Anónimo? Vamos pagar mais de 2 mil milhões dos swaps contratados pela Maria Swapeira. O melhor défice em Democracia, saída do procedimento de defices excessivos, aumento do salário minimo, PIB acima de 2%, e quando subir o rating a boa nova que te dou é, o Costa mais 4 anos!!!

Anónimo Há 2 semanas

É sempre a mesma ladainha, esta novidade já esta requentada... são tão poucoxinhas as boas novas....

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub