Política Câmara dos deputados bloqueia denúncia contra Temer

Câmara dos deputados bloqueia denúncia contra Temer

O presidente do Brasil, Michel Temer, foi "salvo" de ser julgado por alegada corrupção passiva. Denúncia foi travada.
Carla Pedro 03 de agosto de 2017 às 00:35

Michel Temer vai continuar como presidente do Brasil, já que a denúncia de que era alvo, por alegada corrupção, foi travada esta noite na Câmara dos Deputados. Por isso, não segue para o Supremo Tribunal Federal.

 

Se fosse decidido que Temer deveria ser julgado pelo Supremo Tribunal, no âmbito das acusações de corrupção passiva de que era alvo, isso levaria à perda do seu mandato por um prazo máximo de 180 dias. 

A votação começou às 18:20 em Brasília (22:20 de Lisboa) e previa-se que se prolongasse por grande parte da noite, já que os 513 deputados teriam direito à palavra. Mas rapidamente foram reunidos votos suficientes para travar a denúncia.

A primeira sessão na câmara baixa do parlamento decorreu das 09:00 às 13:00 locais, tendo sido alcançado o quórum mínimo de 342 deputados (dois terços da câmara) para avançar para a votação.

 

Durante esta votação, bastava 172 deputados para o processo ser arquivado – número que foi conseguido em duas horas (ainda dia 2 de Agosto em Brasília).

Michel Temer viu-se ameaçado por um processo de corrupção depois de em Maio passado ter sido divulgado que o presidente tinha sido gravado a dar autorização ao pagamento de um suborno para comprar o silêncio de Eduardo Cunha, antigo líder da Câmara dos Deputados que se encontra preso na sequência da Operação Lava-Jato.

E o processo foi mesmo para a frente. A denúncia, recorde-se, foi formamente apresentada no final de Junho pelo Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot.

Temer foi o primeiro presidente brasileiro no exercício do mandato a ser denunciado por um crime comum, conforme recorda a edição brasileira do jornal El País. 

Michel Temer era vice-presidente no mandato de Dilma Rousseff como chefe de Estado, tendo assumido o poder em Agosto do ano passado quando a presidente foi deposta pelo Congresso.


(notícia actualizada à 01:19 de quinta-feira, 3 de Agosto)




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
Notícias Relacionadas
pub