Campos e Cunha acumula salário do Estado com meia pensão do BdP
08 Maio 2012, 11:01 por Jornal de Negócios Online | negocios@negocios.pt
Enviar por email
Reportar erro
0
O professor da Universidade de Economia da Nova pediu um parecer técnico para acumular as duas fontes de rendimento
Luís Campos e Cunha, ex-ministro de Estado e das Finanças do primeiro governo Sócrates, acumula meia pensão do Banco de Portugal, de onde se reformou aos 45 anos, com o vencimento de docente da Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa, noticia o “i”.

Em declarações ao jornal, o economista explicou que o decreto-lei que impede a acumulação de vencimentos com pensões era omisso relativamente ao caso de pessoas que recebiam apenas meia pensão e que por isso pediu um parecer técnico a fim de poder acumular as duas fontes de receita. “De qualquer forma”, acrescentou, “quando me reformar de professor apenas receberei meia pensão da Caixa Geral de Aposentações. Os restantes 50% irão para o Fundo de Pensões do Banco de Portugal”.

O ex-governante explicou também que é presidente da SEDES, Associação para o Desenvolvimento Económico e Social, a título gratuito, o mesmo acontecendo no Centro Cultural de Belém.

A acumulação de pensões com salários públicos passou a ser proibida desde 1 de Janeiro de 2011, no âmbito da entrada em vigor das medidas de redução da despesa previstas no Programa de Estabilidade e Crescimento para 2010-13.
Enviar por email
Reportar erro
0
pesquisaPor tags: