Campos e Cunha: Governo Sócrates seguiu política "suicidária e anti-nacional"
21 Outubro 2011, 09:31 por Jornal de Negócios Online | negocios@negocios.pt
Enviar por email
Reportar erro
0
Antigo ministro das Finanças culpa o Governo de Sócrates pelo facto de Portugal ter chegado perto da bancarrota.
Luís Campos e Cunha considera que a política orçamental de Teixeira dos Santos, o ministro das Finanças que o sucedeu no anterior Governo, foi “suicidária e anti-nacional”

“Nós chegámos perto da bancarrota com uma política orçamental em 2008, 2009 e 2010 que foi suicidária e anti-nacional”, acusa o economista que esteve cinco meses no primeiro Governo de José Sócrates, em declarações citadas pela Rádio Renascença.

“Em Junho de 2005 eu chamei à atenção que se não controlássemos a dívida pública e o défice público teríamos ‘spreads’ a subir, mais tarde ou mais cedo, e que isso teria consequências para o financiamento da economia e para o financiamento das famílias”, argumenta o antigo ministro.

Campos e Cunha diz concordar com a austeridade inscrita no Orçamento do Estado de 2012 e comenta as críticas de Cavaco Silva. “Tenho alguma simpatia pelas observações do Sr. Presidente da República, no sentido que são particularmente concentradas nos funcionários públicos, no entanto, é importante dizer que qualquer outra alternativa que tivéssemos, com outra composição de medidas, seria sempre uma composição muito difícil para todos nós”, frisou, citado pela Rádio Renascença.

Enviar por email
Reportar erro
0
pesquisaPor tags:
alertasPor palavra-chave: