União Europeia Canadá abandona negociações para tratado com a União Europeia

Canadá abandona negociações para tratado com a União Europeia

O Canadá diz que parece "impossível" chegar a acordo. Em Bruxelas continua a reinar a esperança de um desfecho positivo. A impedir o acordo está a resistência da Valónia, uma das províncias belgas, que receia ser inundada de produtos canadianos.
Canadá abandona negociações para tratado com a União Europeia
REUTERS
Paulo Zacarias Gomes 21 de Outubro de 2016 às 21:18

O governo canadiano abandonou esta sexta-feira a mesa das negociações com a Bélgica, responsabilizando a União Europeia de incapacidade de aprovar o tratado de comércio transatlântico entre as duas comunidades (o Acordo Integral de Economia e Comércio, CETA na sigla inglesa).

Em causa está a oposição de uma das províncias belgas, a Valónia, que se opõe ao acordo, pondo em causa o apoio já dado pelos governos centrais dos 28 membros da União Europeia.

"O Canadá – e eu pessoalmente – trabalhámos muito. Mas é claro para mim e para o Canadá que a União Europeia é incapaz de chegar a acordo, mesmo com um país com valores europeus como o Canadá," afirmou a ministra do Comércio Chrystia Freeland, que acrescentou estar "desiludida". "Penso que é impossível", afirmou.

Contudo, em Bruxelas, fontes comunitárias acreditam que ainda é possível chegar a um entendimento. E a comissária europeia com a pasta das transacções comerciais, Cecelia Malmstrom, mostrou vontade de continuar com as conversações.

As preocupações da Valónia prendem-se com o impacto que o acordo poderá ter no aumento da importação de produtos de suíno e bovino e também em relação ao mecanismo de resolução de conflitos entre as partes dos dois continentes, que podem ser usadas pelas multinacionais em seu benefício.

O acordo para o CETA deveria ser assinado na próxima quinta-feira, na cimeira União Europeia, Canadá. Até segunda-feira de manhã o primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau (na foto), decidirá se voa ou não para Bruxelas para firmar o documento.

De acordo com a Reuters, o acordo prevê aumentar as trocas comerciais entre os parceiros em 20%, dando ganhos anuais de 12 mil milhões de euros às economias do bloco europeu e de 8,26 mil milhões à canadiana.




A sua opinião13
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Tecnocraas de Bruxelas Há 2 semanas

E Faz muito bem a quem interessa a UE, ao paspalhos, politicos que vivem dela. Vejam so uma regiao de um pais Manda em toda a Desuniao Europeia, encomendem ja o caixao para a UE

Fernando Sousa Há 2 semanas

Esta Europa com esta gente não presta..

X Há 2 semanas

Seria mais um desastre para a Economia Europeia.

Felizmente alguém soube barrar isto a tempo. E com os EUA prepara-se outro acordo-catástrofe.

Anónimo Há 2 semanas

NOTAVEL:uma formiga arrastar animais de grande porte para um beco sei saida.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub