Justiça Carlos Alexandre e Cândida Almeida intimados a testemunhar na "Operação Fizz"

Carlos Alexandre e Cândida Almeida intimados a testemunhar na "Operação Fizz"

O julgamento da "Operação Fizz" arranca esta segunda-feira. O Público avança que Carlos Alexandre e Cândida Almeida serão intimados.
Carlos Alexandre e Cândida Almeida intimados a testemunhar na "Operação Fizz"
Negócios 20 de janeiro de 2018 às 11:41

O juiz Carlos Alexandre e a procuradora Cândida Almeida são duas das figuras da justiça portuguesa intimadas para testemunhar em tribunal no julgamento da "Operação Fizz", avança o jornal Público. O julgamento avança na próxima segunda-feira. A magistrada do Supremo Tribunal de Justiça deverá depor na próxima segunda-feira e o juiz deverá ser ouvido na segunda-feira seguinte.


O julgamento não contará com a presença do seu principal suspeito, o ex vice-presidente angolano Manuel Vicente, que as autoridades angolanas se recusam a notificar por entenderem que goza de imunidade.


O jornal relembra que quando a "Operação Fizz" estava na fase de inquérito o magistrado foi interrogado no DCIAP pelas procuradoras que investigaram o seu ex-colega Orlando Figueira. Na altura, terá dito que aquele era o único amigo que frequentava a sua casa. Foi também este amigo quem em 2011, entregou o currículo de um filho de Carlos Alexandre, que andava à procura de emprego, na Sonangol, a petrolífera angolana.


Orlando Figueira começou por negar todos os crimes de que é acusado mas, recentemente, admitiu ter praticado fuga ao fisco e branqueamento de capitais, ao ter aberto uma conta bancária em Andorra para receber pagamentos da Primagest que diz serem a retribuição de serviços de consultoria que prestava à empresa - mas que o Ministério Público assegura serem luvas de Manuel Vicente.


Pelo Campus da Justiça, em Lisboa, passarão ainda Rosário Teixeira e o advogado Proença de Carvalho.




pub