Política Carlos Carreiras é o novo coordenador autárquico do PSD

Carlos Carreiras é o novo coordenador autárquico do PSD

O presidente da Câmara de Cascais foi escolhido por Pedro Passos Coelho para ser o coordenador autárquico do PSD nas eleições de 2017.
Carlos Carreiras é o novo coordenador autárquico do PSD
Bruno Simões 02 de abril de 2016 às 19:54
O vice-presidente do PSD Carlos Carreiras foi designado coordenador autárquico do partido para as eleições que vão ter lugar no Outono de 2017. Carreiras preside à Câmara de Cascais e sucede a Jorge Moreira da Silva como coordenador autárquico do partido.

Nas eleições autárquicas de 2013, o PSD registou o seu pior resultado de sempre, ganhando 106 câmaras municipais. Já o PS conseguiu o seu melhor resultado de sempre, com 150 municípios.

Passos Coelho definiu como objectivo para as autárquicas ganhar a maioria das câmaras, para que assim o PSD possa voltar à presidência da Associação Nacional de Municípios, que agora pertence ao PS.

Esperava-se que Marco António Costa pudesse ficar com a coordenação autárquica, mas a escolha recaiu sobre Carlos Carreiras, que era vice-presidente de António Capucho na Câmara de Cascais e que subiu depois a presidente com a renúncia deste, em 2012.

A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 04.04.2016

Lapis azul no JN.

Haja vergonha 02.04.2016

Em Cascais é um desastre, as ruas são todas da câmara, todo o estacionamento é pago. Não sabem onde ir buscar dinheiro para lhes pagar os tachos de gente que se estorva naqueles gabinetes. Não se pode gozar a terra onde se nasceu. O meu voto na direita acabou

pub
pub
pub
pub