Política Carlos César: Depois de sábado Costa avaliará se Constança Urbano tem condições para continuar

Carlos César: Depois de sábado Costa avaliará se Constança Urbano tem condições para continuar

O presidente do PS tece duras críticas ao CDS devido à moção de censura que o partido liderado por Assunção Cristas vai apresentar. Quanto ao futuro da ministra da Administração Interna, Carlos César diz que só António Costa poderá avaliar se tem condições para continuar ou não.
Carlos César: Depois de sábado Costa avaliará se Constança Urbano tem condições para continuar
Bruno Colaco/Correio da Manhã
Sara Antunes 17 de outubro de 2017 às 18:44

"O senhor primeiro-ministro tem a responsabilidade legal e política de avaliar as condições que os seus ministros têm. Concluído o Conselho de Ministros [extraordinário] e delineada a estratégia a seguir, certamente que o senhor primeiro-ministro avaliará se essas condições existem ou não existem e tomará a decisão que só a ele cabe tomar."

 

Foi desta forma que Carlos César, presidente do PS e líder da bancada parlamentar do partido, respondeu a uma questão colocada sobre o futuro da ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa.

 

O responsável acredita que a reunião de ministros, agendada para este sábado, 21 de Outubro, deverá ser determinante para a tomada de decisões e para se alterar a metodologia que tem sido seguida até aqui no que respeita à prevenção de fogos.

 

Carlos César defende que a tragédia que assolou o país este Verão, com incêndios de grandes dimensões que provocaram mais de 100 mortos, "é resultado de uma inércia ao longo de muitas décadas que tem penalizado, do ponto de vista estrutural, a existência destes eventos e a capacidade de resposta aos seus efeitos."

 

O líder parlamentar apontou o dedo a todos os partidos que estiveram no poder nos últimos anos, já que tem havido uma grande incapacidade de resposta do Estado nesta matéria. E sublinhou que pelo Governo passaram também o PSD e o CDS.

 

Quanto à moção de censura, anunciada pelo CDS esta terça-feira, Carlos César considera que o partido liderado por Assunção Cristas tem adoptado uma postura de facilidade, pedindo demissões e apresentando moções de censura. "Se o problema fosse só esse resolvia-se com muita facilidade ao longo dos anos os problemas que o país tem tido", já que "não têm faltado ministros diferentes, Governos diferentes".

 

"O CDS pode ser muito hábil, neste jogo político, em chamar a atenção da comunicação social" e pode "ganhar o campeonato da oposição ao PSD, mas o que não ganha é a confiança dos portugueses", sublinhou em declarações aos jornalistas no Parlamento, transmitidas pelas estações de televisão.




A sua opinião8
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Vergonha de gentinha que nos des-governa Há 4 horas

Sempre a sacudir a água do capote.

É sempre do tipo: Não foi nada, não sabemos, não é tema, já acabou a conversa, etc etc.

Tristeza.

Ó Cesar . . . Há 5 horas


Vai de férias pá, tú e mais os teus canhotos lambe botas.

Anónimo Há 5 horas

Com certeza ainda não foi demitida pelos favores que o Costa lhe deve. Que é estranho, lá isso é. Se fosse um governo de direita ou centro direita no poder já tinha caído o Carmo e a Trindade. Oportunismo é o nome correto.

General Ciresp Há 5 horas

So cheiras a peixe podre ilheu.Cao danado.

ver mais comentários
pub