Economia Carlos César: “Estado tem deficiências na área inspectiva e fiscalizadora”

Carlos César: “Estado tem deficiências na área inspectiva e fiscalizadora”

O presidente do PS, em entrevista ao Público, admite que o Estado falha no momento de fiscalizar e que a situação que aconteceu com a Raríssimas não será caso único. Recusa que o caso possa afectar a imagem de Vieira da Silva, que foi vice-presidente da assembleia geral da instituição.
Carlos César: “Estado tem deficiências na área inspectiva e fiscalizadora”
Negócios 14 de dezembro de 2017 às 09:20

"Uma das deficiências do Estado é na área inspectiva e fiscalizadora – e não só no que toca à rede de solidariedade social", afirmou o presidente do PS em entrevista ao Público desta quinta-feira, 14 de Dezembro. Carlos César falava a propósito do caso da Raríssimas que, admite, "não será caso único" e "terá outros contornos noutras instituições". Daí que, considera, "é importante que esta actividade inspectiva seja mais abrangente, de modo a que estejamos mais descansados".

 

O líder socialista recusa que a polémica possa atingir Vieira da Silva, que foi vice-presidente da Assembleia geral da Raríssimas no período em que as contas da instituição estão agora a ser postas em causa. "Não creio" que a imagem do ministro possa ser afectada, responde Carlos César, salientando que "temos em Portugal milhares de IPSS, misericórdias, etc., que tornam Portugal um bom exemplo na assistência social e integração".

 

Do ex-secretário de Estado da Saúde, que se demitiu na sequência do desencadear da polémica à volta da Raríssimas, Carlos César afirma que "se encontrou razões para se demitir 24 horas depois, certamente teriam sido as mesmas razões que teria encontrado 24 horas antes".

 

Vieira da Silva tem afirmado estar "de consciência tranquila" quanto ao caso Raríssimas, seja enquanto governante, quer enquanto antigo membro da assembleia geral da instituição. 




A sua opinião31
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado Anónimo 14.12.2017

Excesso de funcionários e de carreiras para a vida à prova de mercado que se altera ao sabor da evolução dos tempos e do progresso da civilização. A inovadora tecnologia eficaz, eficiente e económica não entra onde o excedentário é protegido qual espécie rara que tem de ser alimentada pelos restantes concidadãos.

comentários mais recentes
pertinaz 14.12.2017

ONDE É QUE JÁ SE VIU UM ESTADO REFÉM DA ESCUMALHA XUXALISTA SER EFICAZ NA FISCALIZAÇÃO...???

ESTAMOS ENTREGUES A UMA CAMBADA DE LADRÕES E ALDRABÕES...!!!

Boa pá 14.12.2017

Porque o Estado dá emprego e paga aos dois os que fiscalizam e os que roubam...fica tudo em casa

5640533 14.12.2017

E a maior falha é que só agora repara nestas deficiências. Há anos que o país anda de escândalo em escândalo. Poupa-se dinheiro em fiscalização e é no que dá.
Ele + não sei quantos familiares, Vieira da Silva + mulher + filha, Ana Paula Vitorino + marido etc. Famílias inteiras xuxa a xuxar.

O Óbvio... 14.12.2017

Este vem sempre em jeito de assobiar para o ar e dizer o óbvio...para desculpa dos santos socialistas...
E vergonha na cara não tens?

ver mais comentários
pub