Economia Carlos Silva: "Temos que discutir já progressões na Função Pública"
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Carlos Silva: "Temos que discutir já progressões na Função Pública"

Carlos Silva mostra-se compreensivo em relação aos constrangimentos orçamentais mas desafia o Governo a começar a negociar já o descongelamento de salários. Seja para 2017 ou para o ano seguinte.

O aumento do subsídio de refeição da Função Pública em 25 cêntimos por dia "é uma humilhação", a subida extraordinária de pensões "não é justa" por causa

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

Que tal falarem em trabalho para o FP!!

Isso é para o "preto" do privado.

Gatunos Há 1 semana

Progressões de carreiras só para os mortos nos cemitérios, pois Portugal está mais que morto sem recuperação possível .

Se a inveja mata-se Há 1 semana

O comentadorzeco estava no cemiterio. Fartinho de gentinha que só fala mal.

Anónimo Há 1 semana

Porque não criam? logo uma grande sanzala para por lá todos os privados, assim as empresas nem precisam de processar ordenados, basta dar uma comidita e abrigo aos trabalhadores privados e as empresas que dêm o ordenado inteiro para o estado o dar aos seus dependentes reformados/funcionarios e etc

Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub
pub
pub
pub