Economia Carlos Silva: "Temos que discutir já progressões na Função Pública"
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Carlos Silva: "Temos que discutir já progressões na Função Pública"

Carlos Silva mostra-se compreensivo em relação aos constrangimentos orçamentais mas desafia o Governo a começar a negociar já o descongelamento de salários. Seja para 2017 ou para o ano seguinte.
A carregar o vídeo ...

O aumento do subsídio de refeição da Função Pública em 25 cêntimos por dia "é uma humilhação", a subida extraordinária de pensões "não é justa" por causa

)

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 01.11.2016

Que tal falarem em trabalho para o FP!!

Isso é para o "preto" do privado.

Gatunos 31.10.2016

Progressões de carreiras só para os mortos nos cemitérios, pois Portugal está mais que morto sem recuperação possível .

Se a inveja mata-se 31.10.2016

O comentadorzeco estava no cemiterio. Fartinho de gentinha que só fala mal.

Anónimo 31.10.2016

Porque não criam? logo uma grande sanzala para por lá todos os privados, assim as empresas nem precisam de processar ordenados, basta dar uma comidita e abrigo aos trabalhadores privados e as empresas que dêm o ordenado inteiro para o estado o dar aos seus dependentes reformados/funcionarios e etc

Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub
pub
pub
pub