União Europeia Carney: Riscos do Brexit "são maiores" para a UE do que para o Reino Unido

Carney: Riscos do Brexit "são maiores" para a UE do que para o Reino Unido

O governador do Banco de Inglaterra considera que, actualmente, os riscos para a estabilidade financeira da saída do Brexit são maiores para a União Europeia do que para o Reino Unido.
Carney: Riscos do Brexit "são maiores" para a UE do que para o Reino Unido
Bloomberg
Sara Antunes 11 de janeiro de 2017 às 15:24

"Penso que os riscos de estabilidade financeira em torno do processo [do Brexit] são maiores para o Continente do que para o Reino Unido", afirmou Mark Carney, durante uma audiência parlamentar, esta quarta-feira, 11 de Janeiro.

 

"Não estou a dizer que não há riscos para a estabilidade financeira no Reino Unido, e há riscos económicos" para o país. "Mas há riscos maiores para a estabilidade financeira no Continente no curto prazo, na transição, do que há para o Reino Unido", salientou.

 

O governador do Banco de Inglaterra sublinha a necessidade de haver um período de transição, considerando que essa é a melhor forma "de mitigar os riscos". O período de transição é "altamente recomendável", adianta. "Se não houver um período de transição, trabalharemos para mitigar as consequências. As consequências serão piores para a União Europeia, mas também haverá para o Reino Unido", acrescentou, citado pelo Guardian.

 

O Reino Unido votou em referendo a saída do país da União Europeia, em Junho do ano passado. Desde então a discussão tem sido muita, mas ainda não foi accionado o artigo 50, que desencadeará a saída efectiva do país da região. 




A sua opinião9
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
SALAZAR Há 1 semana

COMO É ÓBVIO.

beachboy Há 1 semana

...lol...
...ganda maluco...
...no dia em que os Ingleses oficializarem a saída da UE...
...entram em funcionamento as leis que se aplicam aos países terceiros...
...os Bancos que estam na City passam para o Continente....
...tão simples quanto isso...
...nessa altura voltamos a falar!...

Anónimo Há 1 semana

Nada melhor que apontar o dedo aos outros! Pequenos problemas nacionais até passam desapercebidos: "Government support for Britain's banks has reached a staggering £850bn and the eventual cost to taxpayers will not be known for years..." [independent.co.uk/news/uk/politics 4 December 2009]

Anónimo Há 1 semana

Até agora a estratégia está a correr bem, fazem o brexit de seguida o Trump ganha e aliam-se a ele. A city fica assim juntinha a Nova York... o passo seguinte é saber que estratégia tem a Europa... pois eu digo que é tratar de ligar a UE com o resto do continente Rússia e China...

ver mais comentários
pub