Europa Catalunha: Polícia recebe instruções para selar locais de voto  

Catalunha: Polícia recebe instruções para selar locais de voto  

A Procuradoria-geral da Catalunha deu instruções à polícia regional da região para selar antes de sábado as escolas designadas como assembleias de voto do referendo de domingo considerado ilegal por Madrid e impedir que se vote num raio de 100 metros.
Catalunha: Polícia recebe instruções para selar locais de voto  
Reuters
Lusa 26 de setembro de 2017 às 18:39

Num requerimento enviado hoje ao chefe do Mossos d'Esquadra, citado pela agência espanhola EFE, é pedido para à polícia regional que garanta que não se possa aceder aos locais nas escolas onde se prevê a colocação de urnas e que se evite a constituição de mesas eleitorais mediante um "amplo dispositivo" policial.

 

No mesmo documento é referido que a polícia deve também impedir que se vote nas ruas em redor dessas escolas num raio de 100 metros.

 

Estas instruções colocam ainda mais pressão sobre os Mossos d'Esquadra, que estão a ser "coordenados" desde sábado por um oficial da polícia vindo de Madrid, contra a vontade do Governo catalão, que criticou a medida.

 

A acção dos Mossos d'Esquadra, Polícia Nacional, Guardia Civil e Guardia Urbana de Barcelona está a ser dirigida por um oficial, nomeado no sábado pela Procuradoria-geral da Catalunha, com o objectivo de impedir o referendo de 1 de Outubro.

 

O Tribunal Constitucional espanhol suspendeu no início do corrente mês, como medida cautelar, todas as leis regionais aprovadas pelo Parlamento e pelo Governo da Catalunha que davam cobertura legal ao referendo de autodeterminação convocado para 1 de Outubro.

 

Apesar das decisões dos tribunais e da pressão de Madrid, o presidente do Governo catalão, Carles Puigdemont, mantém que o referendo de autodeterminação se irá realizar.

 

Os partidos separatistas têm uma maioria de deputados no parlamento regional da Catalunha desde Setembro de 2015, o que lhes deu a força necessária, em 2016, para declararem que iriam organizar este ano um referendo sobre a independência, mesmo sem o acordo de Madrid.

 

Os independentistas defendem que cabe apenas aos catalães a decisão sobre a permanência da região em Espanha, enquanto Madrid se apoia na Constituição do país para insistir que a decisão sobre uma eventual divisão do país tem de ser tomada pela totalidade dos espanhóis.

 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

A Catalunha face a tudo isto só lhe resta mesmo declarar unilateralmente a Independencia!

pub
pub
pub
pub