Política Catarina Martins: Crescimento da economia é "boa notícia" mas ainda "muito poucochinho"  

Catarina Martins: Crescimento da economia é "boa notícia" mas ainda "muito poucochinho"  

A coordenadora do Bloco de Esquerda (BE), Catarina Martins, afirmou hoje que o crescimento da economia é uma "boa notícia", mas ainda é "muito poucochinho" para "tanto" do que foi destruído nos últimos anos.
Catarina Martins: Crescimento da economia é "boa notícia" mas ainda "muito poucochinho"  
Miguel Baltazar
Lusa 31 de agosto de 2017 às 18:14

"Nós achamos, naturalmente, que são boas notícias, o crescimento da economia tem vindo a afirmar-se ao longo do tempo, mas nós sabemos que ainda é muito poucochinho para tanto do que foi destruído nos últimos anos. A economia portuguesa ainda tem muito de recuperar, no entanto, são sinais bons estes", disse durante uma arruada em Matosinhos, no distrito do Porto, na companhia do candidato do BE à câmara local.

 

Para a bloquista, estes "sinais positivos" mostram que a estratégia de tratar bem as pessoas e de recuperar salários e pensões é a estratégia que o país tem de seguir.

 

"Ouvimos durante tanto tempo que só teríamos crescimento económico se baixássemos os custos de trabalho, se privatizássemos a Segurança Social e se cortássemos pensões, bem não é verdade, uma política de recuperação de rendimentos de quem trabalha e trabalhou uma vida é aquela que faz a economia reagir e a que pode trazer boas notícias", frisou.

 

Catarina Martins lembrou ainda que o crescimento da economia provoca criação de emprego, aquilo que Portugal precisa.

 

Agora, é preciso transformar estas boas notícias, estas indicações de que o país está melhor em condições concretas para a vida das pessoas, entendeu, sublinhando de que se o país está melhor as pessoas terão de ter mais condições porque toda a gente tem de perceber na sua vida de que o país está melhor.

 

"Não podem ser só notícias na televisão, havendo uma recuperação de pensões e salários que tem de ser feita e há, seguramente, uma necessidade absoluta de investir nos serviços públicos que são essenciais e que servem toda a população como é a educação e saúde", realçou.

 

As notícias do crescimento económico são boas, mas trazem uma obrigação de fazer melhor para que as boas notícias possam chegar efectivamente às pessoas, considerou a coordenador do BE.

 

A economia portuguesa cresceu 2,9% no segundo trimestre deste ano em termos homólogos e 0,3% face ao trimestre anterior, de acordo com os números hoje divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

 

Nas contas nacionais trimestrais relativas ao segundo trimestre deste ano, o INE reviu em alta o cálculo do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) da economia portuguesa face à estimativa rápida que tinha divulgado em 14 de agosto.

 

Nessa altura, o INE tinha estimado provisoriamente um crescimento de 2,8% entre abril e julho em relação ao mesmo trimestre de 2016 e de 0,2% em relação ao primeiro trimestre deste ano.

 




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Se a Europa 31.08.2017

Que também anda com boa economia, dá um espirro, Portugal mais uma vez apanha uma gripe, que nem os supositórios do trampa e o gordinho vão curar. Já compraram os mantimentos para o bunker?

General Ciresp 31.08.2017

Nem mais.quando o cabrao do selfie promulgou as 35 horas semanais de seguida disse:eu sou presidente de todos os portugueses.Sera q esse cavalo arracado de mula sabe q o pais tambem sector privado?O d.branca disse:vamos descongelar as carreiras do sector publico,e os privados ser aumentados p amorti

Maria 31.08.2017

Está refinada a rapariga. Ui tratar bem as pessoas e tal...e a indirecta do poucochinho! Eh, eh... o Costa ficou com as orelhas em brasa.

pub