Economia Catarina Martins diz a António Costa que era possível "ter ido mais longe"

Catarina Martins diz a António Costa que era possível "ter ido mais longe"

A coordenadora do BE contrariou hoje o primeiro-ministro, considerando que a execução orçamental de 2016 mostra que era possível "ter ido mais longe" em sectores essenciais, sublinhando que não é o programa eleitoral socialista que está a ser implementado.
Catarina Martins diz a António Costa que era possível "ter ido mais longe"
Miguel Baltazar
Lusa 17 de setembro de 2017 às 12:43

Em entrevista ao DN, cuja segunda parte foi hoje publicada, o primeiro-ministro, António Costa, falou da actual situação da geringonça: "Se me disser que o PCP e o Bloco gostavam que fossemos ainda mais longe, eu digo-lhe que também eu gostava. Agora, tenho a certeza de que se o Jerónimo de Sousa ou a Catarina Martins estivessem aqui na minha função porventura iriam tão longe quanto aquilo que nós temos ido".

 

Durante uma acção de pré-campanha para as autárquicas, em Santarém, Catarina Martins foi questionada pelos jornalistas sobre esta declaração do chefe de executivo, tendo sido peremptória ao afirmar que "os próprios dados da economia e da execução orçamental do ano passado mostram que podíamos ter ido mais longe".

 

"Ficou a faltar investimento em tanta coisa e, de facto, gastámos menos do que poderíamos ter gasto nos sectores essenciais e as contas da execução orçamental mostram-no", concretizou.

 

Mas os recados ao primeiro-ministro não ficaram por aqui, tendo a líder bloquista considerado que "há uma grande consciência no país de que o que está a acontecer não é o programa eleitoral do PS".

 

"E ainda bem porque parámos os cortes nas pensões, parámos a facilitação dos despedimentos, parámos menos contribuições para a Segurança Social que iam desproteger todo o sistema e temos dado alguns passos, que embora tímidos, são significativos", justificou.




A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Se deixarem esta fulana à rédea solta 17.09.2017

Esta marafona destrói a economia em 3 tempos, vejamos, quer:
- eliminar os eucaliptos exterminando a industria exportadora de pasta de papel e outros derivados;
- dar cabo do turismo em Lisboa;
- destruir a AutoEuropa;
- rebentar os Tugas com impostos.
Dêem-Lhe mais poder ... depois chorem...

Marcos 17.09.2017

Sócrates diz o mesmo:
http://expresso.sapo.pt/politica/2017-09-17-Socrates-acusa-Costa-de-lhe-virar-as-costas

As esganiçadas bloqueiras andam num delírio!! 17.09.2017

O vicio da esquerda é se empoleirar no luxo e acenar aos pobres com a igualdade!
Que o digam as estéricas bloqueiras, se isso é ou não é verdade!
Piar de barriga cheia e bem instalado(a) é outra coisa!

SEGUIR EM FRENTE E NÃO RECUAR 17.09.2017

Com Passos, Portugal recuou. Com Antonio Costa, Portugal segue em frente. Para uma caminhada segura, é melhor andar lentamente e seguro, que rapidamente e depois cairmos de exaustão. Costa está a levar Portugal pelo caminho certo e pleno de segurança.

ver mais comentários
pub