Política Catarina Martins diz que Passos está a ser igual a si próprio ao defender Altice

Catarina Martins diz que Passos está a ser igual a si próprio ao defender Altice

A coordenadora do BE, Catarina Martins, acusou hoje o líder do PSD, Pedro Passos Coelho, de escolher estar ao lado da Altice e não dos trabalhadores da PT, considerando que está a "ser só igual a si próprio".  
Catarina Martins diz que Passos está a ser igual a si próprio ao defender Altice
Correio da Manhã
Lusa 27 de agosto de 2017 às 18:41

No sábado, o presidente do PSD disse esperar que o BE se retratasse das acusações que fez à Altice sobre alegados despedimentos "encapotados" na PT, depois de "uma infundada acusação que não encontrou respaldo naquilo que foi o trabalho realizado pela Autoridade para as Condições do Trabalho".

 

"Quando Pedro Passos Coelho vem dizer que a ACT não dá razão ao Bloco de Esquerda, com certeza não leu o relatório com atenção ou, então, talvez tenha lido com atenção e esteja a ser só igual a si próprio", respondeu hoje Catarina Martins no discurso de encerramento do Fórum Socialismo 2017, a rentrée política do BE.

 

A líder bloquista não fica, no entanto, surpreendida que "entre defender os trabalhadores ou a multinacional que se apresentou ao país como gostando pouco de pagar salários, Pedro Passos Coelho escolha a Altice aos trabalhadores"

 

"No Bloco de Esquerda sabemos sempre de que lado estamos", atirou.

 

De acordo com Catarina Martins, o relatório da ACT refere que "a transmissão de estabelecimento, a figura que a Altice está a utilizar para despedir trabalhadores, é algo que é matéria de tribunais".

 

Mas a líder do BE aproveitou, também, para voltar a deixar recados ao Governo liderado por António Costa nesta matéria, recordando que o executivo sempre disse que estava à espera deste relatório da ACT e que, agora que ele existe, este é o momento de agir.

 

"O Governo pode sozinho e de uma forma expedita densificar a interpretação da lei para evitar o que está a acontecer e travar a Altice, mas se o Governo não o fizer a prioridade do BE na abertura da sessão legislativa já em Setembro são os projectos de lei que fazem uma densificação daquilo que é a transmissão de estabelecimento e impedem abusos como está a acontecer na PT", antecipou.

 

No sábado, o deputado do BE, José Soeiro já tinha considerado que o Governo devia "retirar as devidas consequências e agir em consonância" com o relatório da Autoridade para as Condições do Trabalho sobre a PT/Meo, que confirma uma actuação "como se Portugal fosse um faroeste laboral".

 

A Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) instaurou 124 autos de notícia nas inspecções feitas à PT/Meo, tendo recolhido, designadamente, "evidências da existência de situações de assédio" aos trabalhadores, segundo dados conhecidos na sexta-feira.

 

Segundo os resultados das acções inspectivas levadas a cabo pela ACT na PT/Meo, entre Janeiro e Julho deste ano, a que a Lusa teve acesso, "o valor mínimo total da moldura da coima associado às infracções objecto de auto de notícia é de 1.574.861,75 euros" e o valor máximo é de 4.844.974,25 euros.

 




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 27.08.2017

Na altura não acreditava. Agora, ao ouvir estas meninas, dou razão a um velho amigo que me dizia há já alguns anos que Portugal, a que para me chatear chamava então uma republica das bananas, seria um dia uma republica de bananas. Estava certo. O que virá a seguir?

Esta atrizeca morde em tudo e em todos... 27.08.2017

Metendo o focinho em empresas privadas, vivemos ainda num estado de direito, se existir algo de errado há lei e tribunais.
Pessoal ... há por aí uma vacina anti-raiva? E também anti-inveja e anti-demagogia .

General Ciresp 27.08.2017

Sera que a jarra quer filiar o Passos Coelho na cgtp armenica?Admiracao provem em grande parte pelos RETORCESSOS.Nunca digas nunca.

Lore 27.08.2017

Que confusão vai na cabeça da rapariga! Então ela malha nos CTT que são uma empresa portuguesa que cria emprego e que até tem um dos poucos bancos não carregados de dívida! Absurdo quando sabemos que a Altice também quer concorrer com os CTT pois quer ter um banco a operar em Portugal!... Ai Catarina, Catarina...

pub